Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Codevasf insere 480 mil alevinos na porção mineira da bacia do São Francisco
conteúdo

Notícias

Codevasf insere 480 mil alevinos na porção mineira da bacia do São Francisco

Até a próxima quinta-feira (25) a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) soltará 480 mil alevinos de curimatã pacu em três peixamentos no estado de Minas Gerais, na Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Na terça-feira (23), às 15 h, na comunidade de Xacriabás, em São João das Missões, serão lançados 120 mil filhotes de peixe no reservatório Itacarambi, e na quinta (25), às 10:30 h, 80 mil no reservatório Pedro Ju, em Francisco Sá.
publicado: 19/04/2013 12h11, última modificação: 20/06/2018 17h16

Até a próxima quinta-feira (25) a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) soltará 480 mil alevinos de curimatã pacu em três peixamentos no estado de Minas Gerais, na Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Na terça-feira (23), às 15 h, na comunidade de Xacriabás, em São João das Missões, serão lançados 120 mil filhotes de peixe no reservatório Itacarambi, e na quinta (25), às 10h30, 80 mil no reservatório Pedro Ju, em Francisco Sá.

A soltura dos outros 280 mil filhotes começou na quinta (11) e termina nesta sexta (19) no reservatório Bico da Pedra, que fica nos municípios de Janaúba, Porteirinha e Nova Porteirinha. Os alevinos de curimatã pacu (Prochilodus argenteus) foram produzidos no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Gorutuba, em Nova Porteirinha. A ação conta com a parceria da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Os peixamentos realizados pela Codevasf consistem no repovoamento da ictiofauna de rios, lagoas e grandes reservatórios hídricos da bacia do São Francisco usando algumas espécies nativas de peixes. Por meio dessa iniciativa, a empresa busca a manutenção e o aumento dos estoques pesqueiros, garantindo o futuro da pesca e gerando renda para a população local.

“Os benefícios sociais são gerados pela oferta dos peixes que poderão ser capturados e consumidos pela população ribeirinha; os econômicos envolvem a geração de renda por meio da comercialização do excedente capturado. Os benefícios ambientais referem-se à manutenção das espécies nativas por meio da recomposição dos estoques pesqueiros das bacias onde são feitos os peixamentos”, explica o engenheiro de pesca da Codevasf e chefe do Centro de Gorutuba, Francisco Jaylson Silva.

O Centro de Gorutuba é um dos sete Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura operados pela Companhia nos estados de Alagoas (Itiúba), Bahia (Ceraíma e Xique-Xique), Minas Gerais (Gorutuba e Três Marias), Pernambuco (Bebedouro) e Sergipe (Betume). Com o objetivo de promover a revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, essas unidades têm se tornado referência no desenvolvimento de pesquisas e tecnologias de reprodução, larvicultura e alevinagem de espécies de peixes nativas e produção de alevinos para repovoamento.

Ouça a notícia da Rádio Codevasf:

http://www.codevasf.gov.br/principal/promocao-e-divulgacao/central-de-radio/materias-e-entrevistas-2013/20-municipios-mineiros-receberao-da-codevasf-200-mil-alevinos-de-curimata.mp3