Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Baixio de Irecê será palco de pesquisa avançada para aumento da qualidade do solo
conteúdo

Notícias

Baixio de Irecê será palco de pesquisa avançada para aumento da qualidade do solo

O perímetro de irrigação Baixio de Irecê, localizado nos municípios baianos de Itaguaçu da Bahia e Xique-Xique, será palco de pesquisas que orientarão os agricultores do perímetro sobre as melhores técnicas de produção. Técnicos da Codevasf e da Embrapa visitaram o perímetro para a seleção de uma área de sete hectares onde será instalado um campo experimental.
publicado: 27/06/2013 15h08, última modificação: 20/06/2018 17h16

O perímetro de irrigação Baixio de Irecê, localizado nos municípios baianos de Itaguaçu da Bahia e Xique-Xique, será palco de pesquisas que orientarão os agricultores do perímetro sobre as melhores técnicas de produção. Técnicos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) visitaram o perímetro para a seleção de uma área de sete hectares onde será instalado um campo experimental.

“A ideia é agregar ao agricultor familiar uma matéria-prima que seja de baixo custo e disponível na região próxima à área de produção agrícola, eliminando a dependência desses produtores dos fertilizantes, que são em sua maioria importados”, afirma o assessor da presidência da Codevasf Stênio Petrovich, um dos coordenadores da iniciativa.

O campo experimental da Codevasf está sendo formatado em parceria com a Embrapa Cerrados e Semiárido, a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) – o Serviço Geológico do Brasil e a Universidade de Brasília (UnB). A unidade demonstrativa de pesquisas e inovação contará com a expertise dos órgãos envolvidos: a geologia, a cargo da CPRM; os experimentos agronômicos, da Embrapa; a pesquisa de laboratório mineral, da UnB; e a disponibilização da área e do pessoal para aplicar a técnica na ponta, da Codevasf.

As pesquisas para a agricultura regional serão realizadas pela Codevasf por meio de acordo de cooperação técnica com a Embrapa. Entre as técnicas que serão estudadas estão o uso de agrominerais como corretivo de solos e de fertilizantes agrícolas, que buscam promover, entre outros benefícios, menor consumo de insumos agrícolas, aumento da produtividade, maior qualidade e durabilidade dos alimentos, melhor balanço nutricional do solo,  eliminação da toxidez causada por alumínio e obtenção de plantas menos suscetíveis ao ataque de pragas e doenças.

O engenheiro agrônomo e técnico da Área de Gestão de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf Paulo Ricardo Cerqueira e o engenheiro agrônomo e técnico  da Embrapa Semiárido em Petrolina (PE) Tony Jarbas Cunha, na visita ao perímetro irrigado Baixio de Irecê, além de selecionar os sete hectares nos quais será instalado o campo experimental, colheram amostras para experimentos laboratoriais em Petrolina e para experimento de produção de raízes em Brasília.

“A formatação dessa unidade demonstrativa conta com a parceria e a experiência dos técnicos da região. A ideia é oferecer alternativas viáveis à adubação convencional de cultivos em perímetros irrigados”, destaca Paulo Ricardo Cerqueira. O engenheiro agrônomo da Codevasf explica que a técnica a ser pesquisada no Baixio de Irecê fornece nutrientes às plantas por meio de agrominerais – minerais de importância agrícola. Rochas da região serão aplicadas, em forma de pó, diretamente no solo.

Baixio de Irecê

IrrigaçãoEm maio deste ano a Codevasf foi autorizada pelo Ministério da Integração Nacional (MI) a iniciar a seleção pública de 245 agricultores, uma cooperativa e duas empresas para a ocupação dos 4,3 mil hectares da primeira etapa do perímetro de irrigação Baixio de Irecê, por meio de Concessão de Direito Real de Uso (CDRU).

O Baixio de Irecê é um dos projetos incluídos no programa Mais Irrigação, coordenado pelo MI, e lançado pela presidenta Dilma Rousseff no final do ano passado. A CDRU da primeira etapa do projeto criará condições para o uso produtivo das áreas irrigáveis e não-irrigáveis, por meio de atividades agropecuárias, além de promover a função social da terra e o desenvolvimento econômico da região.

A concessão da terra pelos agricultores selecionados terá validade pelo período de 35 anos. A Codevasf é responsável pela implantação de 100% da infraestrutura de irrigação dessa primeira etapa do projeto – serão nove etapas no total. Na infraestrutura da primeira etapa, a Companhia investiu R$ 227 milhões oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os recursos disponíveis para fomento à produção são da ordem de R$ 272,8 milhões, do Banco do Nordeste, por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). 

Inicialmente a operação e a manutenção do projeto serão realizadas pela Codevasf. Depois, serão repassadas para uma concessionária, que prestará apoio ao planejamento, à estruturação e à gestão da produção – com a elaboração de projetos de assistência técnica e extensão rural (ATER) para os agricultores irrigantes.

Fotos: Frederico Celente / Codevasf