Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Avaliação da cultura do arroz no Baixo São Francisco
conteúdo

Notícias

Avaliação da cultura do arroz no Baixo São Francisco

Técnicos da Codevasf, Embrapa e da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário de Alagoas (Seagri/AL) realizaram durante dois dias atividades de avaliação e treinamento para rizicultores do Baixo São Francisco alagoano. A iniciativa visa avaliar possíveis problemas nas lavouras e treinar os produtores na identificação de doenças e no manejo da cultura do arroz irrigado, tradição secular na região.
publicado: 07/10/2011 11h04, última modificação: 20/06/2018 17h12

Técnicos da Codevasf, Embrapa e da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário de Alagoas (Seagri/AL) realizaram durante dois dias atividades de avaliação e treinamento para rizicultores do Baixo São Francisco alagoano. A iniciativa visa avaliar possíveis problemas nas lavouras e treinar os produtores na identificação de doenças e no manejo da cultura do arroz irrigado, tradição secular na região.

Os trabalhos foram iniciados na última quarta-feira (05), com uma visita técnica aos perímetros irrigados da Codevasf de Santa Eliza, no povoado Marizeiro em Penedo; do Boacica, no município de Igreja Nova, e do Itiúba, em Porto Real do Colégio. Nas visitas, a equipe de técnicos da Codevasf, Embrapa Unidade Arroz e Feijão, Seagri/AL e do Território Rural do Baixo São Francisco de Alagoas (TRBSF/AL), ligado ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDS), conversaram com agricultores e puderam ter um primeiro contato com a lavoura.

“Esse está sendo o primeiro contato com os produtores para que possamos iniciar o trabalho de avaliação e repasse de tecnologia. Queremos ouvir as principais dúvidas dos rizicultores e seus anseios para melhoria da lavoura. Já temos uma ideia do papel do manejo na maioria dos problemas já relatados e devemos discutir isso em conjunto com os agricultores”, explicou a pesquisadora Valácia Lemes da Silva Lobo, especialista em fitossanidade, da Embrapa Arroz e Feijão, que integrou a equipe técnica que esteve em Alagoas para avaliar a rizicultura do Baixo São Francisco.

Os trabalhos tiveram continuidade na quinta-feira (06) com a realização de um treinamento com os rizicultores no auditório da Superintendência Regional da Codevasf em Penedo. No treinamento, três pesquisadores da Embrapa Arroz e Feijão discutiram com os presentes questões identificadas nas visitas às lavouras, a exemplo do manejo da cultura do arroz irrigado, o manejo integrado de doenças e os custos de produção e rentabilidade do cultivo do arroz irrigado.


RIZICULTURA EM ALAGOAS

De acordo com o engenheiro agrônomo José Domingos, gerente regional de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf em Alagoas, a visita técnica às lavouras de arroz nos perímetros irrigados da Codevasf e o treinamento fazem parte de uma iniciativa conjunta da Codevasf, Embrapa e Governo de Alagoas para revitalização da cultura do arroz no Baixo São Francisco. “Para isso, a Codevasf e as outras instituições estão executando projetos paralelos que contribuem para o fortalecimento da rizicultura na região, ampliando a geração de renda e trabalho para famílias que tem na cultura do arroz uma história de vida passada por várias gerações”, declarou.

Ele citou iniciativas como a da Codevasf, que está recuperando a infraestrutura de irrigação e drenagem dos perímetros irrigados da companhia, e do governo de Alagoas, por meio da Seagri/AL, que realiza a doação de sementes selecionados de arroz e oferta de Assistência Técnica aos produtores, como exemplos dos investimentos na rizicultura da região.

Domingos ainda destacou a formação do Fórum de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Arroz em Alagoas, que reúne Codevasf, Seagri/AL, Sebrae, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), prefeituras municipais de Igreja Nova, Penedo e Porto Real do Colégio, Grupo Santana, Cooperativa Regional Agropecuária Vale do Itajaí (Cravil) e os distritos de irrigação do Boacica e do Itiúba.

O objetivo do fórum é estruturar o Arranjo Produtivo Local (APL) da Rizicultura em Alagoas, fortalecendo a produção e organização da cultura do arroz, agregando valor ao produto local no âmbito da agricultura familiar. A APL Rizicultura de Alagoas também deve melhorar a comercialização do produto com ações como a implantação de uma política de preço mínimo e o fortalecimento de cooperativas e de pequenas indústrias.