Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Água para Todos instala 2.612 novas cisternas na segunda semana de dezembro
conteúdo

Notícias

Água para Todos instala 2.612 novas cisternas na segunda semana de dezembro

O programa Água para Todos - coordenado pelo Ministério da Integração Nacional (MI) e executado pela Codevasf em sua área de atuação - instalou durante a segunda semana de dezembro 2.612 novas cisternas para famílias que vivem na região do semiárido de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Piauí e Maranhão.
publicado: 20/12/2012 16h36, última modificação: 20/06/2018 17h15

O programa Água para Todos - coordenado pelo Ministério da Integração Nacional (MI) e executado pela Codevasf em sua área de atuação - instalou durante a segunda semana de dezembro 2.612 novas cisternas para famílias que vivem na região do semiárido de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Piauí e Maranhão.

O balanço do programa registra 39.329 famílias beneficiadas até o momento com os reservatórios, que são destinados a acumular a água nos períodos de chuva para garantir tranquilidade a essas populações na época de estiagem.

Outras 20.774 famílias que se enquadram nos critérios estabelecidos pelo Plano Brasil sem Miséria estão habilitadas a receber o equipamento. "São populações difusas que estão na linha da pobreza ou da extrema pobreza; algumas delas encontram-se isoladas", explica o coordenador do Água para Todos na Codevasf, Carlos Hermínio de Aguiar Oliveira.

As cisternas instaladas estão distribuídas entre 68 municípios, dentre os 115 que possuem beneficiários habilitados até o momento. Das cidades que já receberam reservatórios, 27 tiveram o acesso à água universalizado com a instalação de cisternas nas residências de 20.352 famílias.

A previsão do programa é de que até o fim de 2012 outros 11 municípios terão tido o acesso à água universalizado, tendo beneficiado ao todo 28.123 famílias (aproximadamente 140.000 pessoas). Há 1.125 cisternas instaladas em Minas Gerais, 7.271 na Bahia, 18.795 em Pernambuco, 1.654 em Sergipe, 6.642 em Alagoas, 1.991 no Piauí e 1.851 no Maranhão.

A cisterna instalada na Escola Municipal Antônio Luiz de Moraes, da comunidade de União, localizada na zona rural de Verdelândia (MG), proverá a água que auxiliará no preparo da merenda de seus 138 alunos. “É comum que na estiagem falte água no poço que nos abastece. Dependíamos muito da vinda de carros-pipa”, diz a diretora da escola, Herly Pereira da Silva, de 37 anos.

Universalizar o acesso à água

Criado em meados de 2011 e operacionalizado em 2012, o Água para Todos integra o Plano Brasil sem Miséria e tem como meta principal universalizar o acesso à água para a população rural do semiárido brasileiro. O objetivo do programa é beneficiar 750 mil famílias até 2014.

As cisternas do programa instaladas pela Codevasf – empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional (MI) – têm capacidade para armazenar até 16 mil litros de água de chuva captada dos telhados das casas. É esta água, acumulada no período chuvoso, que garantirá a tranquilidade das famílias nos períodos de estiagem.

Os reservatórios possuem tecnologia testada e aprovada em países como México, Austrália e Indonésia. As principais vantagens do equipamento são a resistência, a rapidez de instalação e as condições de armazenamento, que impedem a incidência de luz solar e evitam a proliferação de algas que podem causar danos à água.

O abastecimento das cisternas ocorre durante o período chuvoso. A água da chuva é aparada no telhado da residência e conduzida, por meio de um sistema de calhas e canos, para o interior da cisterna. Com cuidados básicos, a água captada é própria para se beber e para o preparo de alimentos. Para garantir sua qualidade, as famílias devem manter as cisternas sempre fechadas e submeter a água a um processo de tratamento doméstico, que pode ser feito com hipoclorito de sódio ou água sanitária. O hipoclorito é obtido gratuitamente com agentes comunitários de saúde.

Participação das comunidades

Um dos pontos fortes do programa é a interação com a comunidade. Para que isso ocorra, são organizados Comitês Gestores Municipais formados por representantes da sociedade civil organizada, sindicatos de representação rural, associações rurais, igrejas, pastorais e do poder público municipal, além de Comissões Comunitárias. O Comitê auxilia na mobilização local das comunidades visando o cadastramento e a validação das famílias a serem beneficiadas, para que se garanta a correta distribuição dos reservatórios.

A indicação das localidades cabe ao Comitê, bem como a relação dos beneficiários, obedecendo aos critérios do programa – famílias de áreas rurais, prioritariamente do semiárido, em situação de pobreza e extrema pobreza associada à carência de acesso à água com renda per capita de até R$ 140,00, desde que inscritas no Cadastro Único, e também aos aposentados que, mesmo possuindo renda per capita familiar acima de R$140,00, vivam exclusivamente da renda previdenciária.

Para garantir o perfeito funcionamento e uso adequado das cisternas, a Codevasf promove cursos de Gestão da Água para as famílias beneficiadas. Nessas capacitações, os participantes são orientados sobre a utilização da água sem desperdício e sobre como conservar os reservatórios.

FOTO: Ana Paula Couto/MI