Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Água para Todos: Alagoas receberá 210 barreiros para sobrevivência animal no semiárido
conteúdo

Notícias

Água para Todos: Alagoas receberá 210 barreiros para sobrevivência animal no semiárido

A sobrevivência do rebanho no semiárido alagoano é um dos focos da nova etapa de ações do programa Água para Todos para reduzir os efeitos da estiagem naquele estado. A previsão é implantar 210 barreiros – equipamentos que têm a dessedentação animal como principal objetivo. Destes, 36 deverão ter sua construção iniciada ainda neste primeiro semestre de 2013, após conclusão do trâmite licitatório pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).
publicado: 23/04/2013 15h12, última modificação: 20/06/2018 17h16

A sobrevivência do rebanho no semiárido alagoano é um dos focos da nova etapa de ações do programa Água para Todos para reduzir os efeitos da estiagem naquele estado. A previsão é implantar 210 barreiros – equipamentos que têm a dessedentação animal como principal objetivo. Destes, 36 deverão ter sua construção iniciada ainda neste primeiro semestre de 2013, após conclusão do trâmite licitatório pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Os 36 primeiros barreiros beneficiarão a população dos municípios de Batalha, Belo Monte, Craíbas, Dois Riachos, Estrela de Alagoas, Major Izidoro, Minador do Negrão, Olivença e Traipu – todos em situação de emergência reconhecida pela Defesa Civil Nacional em função dos efeitos da estiagem prolongada.

De acordo com o superintendente regional da Codevasf em Alagoas, Luiz Alberto Moreira, além dos 36 barreiros cuja licitação será lançada nos próximos dias, outros 174 deverão ser construídos pela Codevasf, por meio do programa Água para Todos, em municípios do Vale do São Francisco alagoano.

“Estamos trabalhando na identificação dos municípios que estão tecnicamente aptos a receber os barreiros. O principal critério que será utilizado é a escassez hídrica. Identificado o município, o próximo passo é a realização de levantamento topográfico e georreferenciamento da área indicada para receber o barreiro”, informou. O superintendente regional prevê que todos os 210 barreiros estejam implantados até o final de 2014.

Mais de oito mil cisternas instaladas

Coordenado pelo Ministério da Integração Nacional (MI) e executado pela Codevasf em sua área de atuação, o programa Água para Todos já contabiliza mais de oito mil cisternas de consumo humano instaladas no sertão de Alagoas desde junho do ano passado. Os reservatórios têm capacidade de armazenar 16 mil litros de água e suprir, por um período de seis meses, uma família com cinco pessoas durante os períodos de estiagem.

Somente na implantação dessas cisternas a Codevasf está investindo cerca de R$ 40 milhões, o que resultou no benefício de aproximadamente 40 mil pessoas nos municípios de Estrela de Alagoas, Craíbas, Arapiraca, Belo Monte e Delmiro Gouveia, todos em situação de emergência reconhecida pela Defesa Civil Nacional em função dos efeitos da estiagem prolongada.

Segundo o coordenador regional em exercício do programa Água para Todos em Alagoas, Pedro William, a Codevasf já trabalha na meta de 2013/2014, que prevê a implantação de mais 16.222 cisternas para consumo humano em 22 municípios do Vale do São Francisco alagoano.

“Nossas equipes estão em campo com atividades de apresentação do programa ao poder executivo municipal e às comunidades que serão beneficiadas. Estamos trabalhando na formação, organização e capacitação dos comitês gestores municipais, que são espaços de controle social sobre o programa com participação do poder público, sindicatos, associações comunitárias, entre outros, e das comissões comunitárias formadas em cada localidade atendida pelo programa, além do cadastramento das famílias a serem beneficiadas”, revela William.

De acordo com ele, as atividades atuais concentram-se no cadastramento das famílias potencialmente beneficiárias por meio da Busca Ativa. “Muitas vezes encontramos um potencial beneficiário que se enquadra no perfil do programa, mas que não está inserido no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Nesses casos, encaminhamos o representante da família para a área de assistência social das prefeituras municipais, que regularizará a situação, possibilitando que sejam atendidos com uma cisternas para consumo humano”, conta o coordenador.

Meta é universalizar acesso a água

Criado em meados de 2011 e operacionalizado em 2012, o programa Água para Todos integra o Plano Brasil sem Miséria e tem como meta principal a universalização do acesso a água para a população rural do semiárido brasileiro, levando as cisternas de consumo para os terreiros das casas de 750 mil famílias até 2014.

Os reservatórios possuem tecnologia moderna testada e aprovada em países como México, Austrália e Indonésia. As principais vantagens do equipamento são a resistência do material e a rapidez de execução e condições de armazenamento, que impedem a incidência de luz solar e evitam a proliferação de algas que podem causar danos à água que, armazenada adequadamente pode ser usada para beber, cozinhar e escovar os dentes, entre outras tarefas da rotina básica das famílias.

Ouça a notícia da Rádio Codevasf:

http://www.codevasf.gov.br/principal/promocao-e-divulgacao/central-de-radio/materias-e-entrevistas-2013/24-barreiros-para-sobrevivencia-animal-no-semiarido-comecam-a-ser-implantados-em-alagoas.mp3