Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2007 > Agricultores participam de dia de campo no Perímetro Irrigado Brígida, em Orocó (PE)
conteúdo

Notícias

Agricultores participam de dia de campo no Perímetro Irrigado Brígida, em Orocó (PE)

A busca por maiores produtividades impulsiona os investimentos em tecnologias destinadas à agricultura. Para nivelar os conhecimentos sobre as inovações desse segmento com os agricultores familiares do Perímetro Irrigado Brígida, localizado no município de Orocó, sertão de Pernambuco, a empresa que realiza a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), contratada pela Codevasf, promoveu, na última sexta-feira (20), dia de campo sobre tecnologias de pulverização.
publicado: 23/05/2011 17h17, última modificação: 20/06/2018 17h10

A busca por maiores produtividades impulsiona os investimentos em tecnologias destinadas à agricultura. Para nivelar os conhecimentos sobre as inovações desse segmento com os agricultores familiares do Perímetro Irrigado Brígida, localizado no município de Orocó, sertão de Pernambuco, a empresa que realiza a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), contratada pela Codevasf, promoveu, na última sexta-feira (20), dia de campo sobre tecnologias de pulverização.

Cerca de 50 produtores participaram do encontro. De acordo com a equipe de Ater, a realização do evento teve o objetivo de apresentar as novas tecnologias disponíveis no mercado, além de ser uma oportunidade de verificar a eficiência dos diferentes bicos de pulverização (ou pontas de pulverização) através das demonstrações práticas.

O dia de campo teve o objetivo de mostrar as diversas formas de utilizar o equipamento de pulverização, corrigir o pH da calda de pulverização (solução de água + defensivo agrícola) e de manter a pressão constante da aplicação e a importância da utilização do Equipamento Individual de Proteção (EPI).

“Esperamos alcançar uma maior eficiência nas aplicações de defensivos e despertar a conscientização dos produtores sobre o uso desses produtos com a preocupação de preservar a saúde dos produtores e consumidores”, destaca o engenheiro agrônomo, Robson Mororó, da empresa de Ater.