Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Manual de Criação de Peixes em Tanques-Rede
conteúdo

Notícias

Manual de Criação de Peixes em Tanques-Rede

publicado: 27/02/2009 15h50, última modificação: 29/07/2019 16h50

A Codevasf lançou o “Manual de Criação de Peixes em Tanques-Rede” com o objetivo de fomentar a produção de pescado, com o fornecimento de material didático e atualizado sobre o sistema intensivo de criação de peixes em tanques.

No manual, existem tópicos que mostram as vantagens e desvantagens de se criar peixes em tanques-rede, informações sobre o local do empreendimento e detalhamento sobre a qualidade da água, temperatura, material utilizado na construção, equipamentos, ou seja, tudo para o empreendedor ser bem sucedido nesse tipo de criação. Além disso, o manual também possui informações sobre linhas de crédito, trâmite processual e legislação aplicada na aquicultura em águas da União.

O material é distribuído gratuitamente. Os interessados em adquirir a cartilha podem encaminhar o pedido via postal para a Gerência de Desenvolvimento Territorial da Codevasf, SGAN, quadra 601, Conjunto I, Ed. Manoel Novaes, Brasília - DF, CEP: 70.830-901. Na internet, o material está disponível para download no site da Codevasf: http://www.codevasf.gov.br/principal/publicacoes/publicacoes-atuais.

HISTÓRICO - A Codevasf é responsável por grandes avanços na piscicultura brasileira, assim, na década de 80, importou da Hungria, adaptou e difundiu nacionalmente a tecnologia refinada da propagação artificial de peixes, que proporcionou a produção em alta escala de alevinos, tornando a piscicultura de água doce uma atividade em expansão em todo o País. A partir daí, a Codevasf desenvolveu a tecnologia da reprodução artificial de dezenas de espécies nativas da bacia do São Francisco, dentre elas o Surubim e o Pirá. O Pirá é considerado o peixe símbolo do São Francisco, por ser uma espécie endêmica. Nessa mesma década, a Codevasf deu início às pesquisas de criação intensiva de peixes em gaiolas no reservatório de Três Marias (MG).

Atualmente, são seis Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura que produzem cerca de 18 milhões de alevinos/ano, destinados à recomposição da ictiofauna, pesquisas, unidades de capacitação, piscicultura comercial e à segurança alimentar com peixamentos em inúmeros açudes públicos.