Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Esgotamento sanitário para o interior pernambucano
conteúdo

Notícias

Esgotamento sanitário para o interior pernambucano

Ainda no primeiro semestre deste ano, três cidades de Pernambuco vão implantar o serviço de esgotamento sanitário na área urbana. Nas obras em Cedro, no sertão Central, Ipubi, no Araripe, e Tabira, no sertão do Pajeú, a Superintendência Regional da Codevasf em Petrolina (PE) vai investir cerca de R$ 27 milhões.
publicado: 06/03/2009 09h40, última modificação: 20/06/2018 17h03

Ainda no primeiro semestre deste ano, três cidades de Pernambuco vão implantar o serviço de esgotamento sanitário na área urbana. Nas obras em Cedro, no sertão Central, Ipubi, no Araripe, e Tabira, no sertão do Pajeú, a Superintendência Regional da Codevasf em Petrolina (PE) vai investir cerca de R$ 27 milhões.


De acordo com Gildemar Santos, gerente regional de Revitalização, o beneficiamento sanitário dividido em três lotes será executado pela Companhia por meio de empresas escolhidas em licitação. “O processo licitatório já foi concluído e as licitantes vencedoras devem começar os serviços de infraestrutura do esgotamento até o mês de abri, destacou o gerente.


Com o sistema de esgoto desses municípios, a Codevasf busca investir na preservação ambiental dos rios afluentes da Bacia do São Francisco que, segundoGildemar, se transformam em depósitos dos efluentes domésticos. Em Cedro, que faz parte da Bacia do Riacho Terra Nova e onde 23% dos domicílios contam com rede de esgoto, a Codevasf destinou aproximadamente R$ 5 milhões para

tratamento do esgoto. Em Tabira, integrante da Bacia do Rio Pajeú, a obra para transporte de esgoto vai receber recursos da ordem de R$ 12 milhões. Já em Ipubi, banhado pela Bacia do Rio Brígida e onde menos de um quinto da população urbana dispõe do serviço de esgoto, serão investidos mais R$ 9 milhões.


“Esses contratos são financiados pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e são obras importantes para os municípios porque provocam efeitos diretos na política sanitária e ambiental com a diminuição de doenças de veiculação hídrica, transmitidas pelo esgoto, além de revitalizar o rio São Francisco que é abastecido pelas bacias localizadas nesses municípios”, ressalta Gildemar.


Os serviços de implantação da rede de coleta e destinação final de esgoto,previstas para começar em abril nos três municípios, devem ser concluídas num prazo de até 12 meses.