Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Ceraqua São Francisco é inaugurado em Alagoas
conteúdo

Notícias

Ceraqua São Francisco é inaugurado em Alagoas

Piscicultores, pescadores e produtores rurais comemoraram, na última terça-feira (16), a inauguração do primeiro centro tecnológico de referência em aquicultura e pesca do Brasil, o Centro de Referência em Aquicultura e Recursos do São Francisco (Ceraqua São Francisco), em Porto Real do Colégio (AL).
publicado: 17/03/2010 09h06, última modificação: 20/06/2018 17h06

Piscicultores, pescadores e produtores rurais comemoraram, na última terça-feira (16), a inauguração do primeiro centro tecnológico de referência em aquicultura e pesca do Brasil, o Centro de Referência em Aquicultura e Recursos do São Francisco (Ceraqua São Francisco), em Porto Real do Colégio (AL). A cerimônia contou com a presença do governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho; presidente da Codevasf, Orlando Castro, entre outras autoridades, como deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores, secretários estaduais e municipais dos estados de Alagoas e Sergipe, além de dirigentes de órgãos federais, a exemplo do superintendente regional da Codevasf em Sergipe, Antônio Viana, e lideranças dos aquicultores e de pescadores.

Orlando Castro mostrou-se satisfeito com a concretização do Ceraqua São Francisco como agregador de parceiros em torno do desenvolvimento da aquicultura e dos recursos pesqueiros no São Francisco. “Somente com a união de esforços, as diversas instituições que estão aqui presentes conseguiram transformar a antiga Estação de Piscicultura de Itiúba (EPI) no moderno centro tecnológico”, afirmou.

O governador de Alagoas também se mostrou bastante otimista com a contribuição do Ceraqua São Francisco para o futuro da aquicultura e da pesca no Brasil. “Olho para o futuro e vejo os avanços que o país irá experimentar com o trabalho desenvolvido nesse centro. Tenho certeza que os resultados serão sempre direcionados a vocês pescadores e aquicultores”, apontou o governador para a plateia formada principalmente por essas duas categorias. Ele ainda reconheceu os avanços experimentados por Alagoas após a entrada em atuação da Codevasf no estado. “Os projetos de irrigação da Codevasf em Alagoas, Marituba, Itiúba e Boacica, utilizam as águas do São Francisco para mudar uma realidade e hoje temos safras recordes, a exemplo do arroz. E esses resultados somente são possíveis pela intervenção da Codevasf”, defendeu Teotonio Vilela Filho.

Durante a cerimônia de inauguração, foi assinado um acordo técnico e operacional entre Codevasf, Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e Governo do Estado de Alagoas para a gestão compartilhada do Ceraqua São Francisco.

Após a inauguração, Orlando Castro guiou as autoridades presentes em uma visita às instalações do Centro acompanhado pelo superintendente regional da Codevasf em Alagoas, Antônio Nélson de Azevedo, e pelo engenheiro de pesca Eduardo Motta, coordenador do projeto de implantação do centro tecnológico.

AVALIAÇÃO POSITIVA

O representante de um dos principais beneficiados, os pescadores artesanais, Antônio dos Santos, mais conhecido como seu Toinho Pescador, presidente da Federação dos Pescadores do Estado de Alagoas (Fepeal), fez um discurso em defesa do Rio São Francisco e da pesca na região. “Esse centro será de grande importância para nós pescadores. Temos que aumentar a quantidade de peixes no rio. O que representa o pescador sem peixe?”, indagou aos presentes. Ele também comemorou o projeto de revitalização do “Velho Chico” representado pelo Ceraqua São Francisco. Seu Toinho Pescador ainda declamou um poesia na qual retrata a degradação do Rio São Francisco e a sua esperança na revitalização.

Para o representante dos aquicultores do Baixo São Francisco, Luiz Carlos Galindo, presidente da Câmara Setorial de Aquicultura da região, o centro será um referência em tecnologia que certamente irá influenciar positivamente a aquicultura brasileira.

O mesmo pensamento foi confirmado pelo vice-reitor da UFAL prof. Eurico Lobo. “Este certamente será um espaço de produção científica e tecnológica que irá transformar a realidade da pesca e da aquicultura brasileiras” afirmou o vice-reitor, que representou a reitora Ana Dayse Dória.

Já o diretor executivo da Embrapa, Geraldo Eugênio, que representou o diretor-presidente da empresa, Pedro Antonio Arraes, destacou o empenho das diversas instituições envolvidas na gestão compartilhada do centro tecnológico em torná-lo o maior e melhor centro de referência em aquicultura do Brasil. Essa mobilização envolvendo diversos órgãos públicos também foi destacada pelo coordenador geral de pesquisas e novas tecnologias do MPA, Eric Bastos, que representou o ministro Altemir Gregolin. “Somamos esforços e recursos para a concretização deste centro e agora compartilhamos uma perspectiva de promover a difusão de estudos e tecnologias que transformem a pesca e a aquicultura brasileiras”, declarou o coordenador do Ministério da Pesca e Aquicultura.

Na avaliação de Fernando Kubtiza, uma das maiores autoridades em aquicultura do Brasil e autor de diversos livros e estudos na área, o Ceraqua São Francisco consegue reunir uma gama de parceiros, onde cada um consegue contribuir enormemente para o sucesso do centro tecnológico. “Temos juntos a Codevasf, que possui uma história de sucesso na transmissão de conhecimento sobre piscicultura e participa com a estrutura física e de pessoal de apoio; Embrapa que agrega pesquisadores do mais alto nível e experiência na captação de recursos para aplicação em pesquisa; Governo do Estado, que possui programas de apoio à aquicultura tanto em nível familiar, quanto empresarial; UFAL que atuará não somente no desenvolvimento de pesquisa, quanto na formação de recursos humanos especializados; e Ministério da Pesca e Aquicultura, que irá contribuir com o fortalecimento da pesca e aquicultura em nível nacional”, explicou.

O superintendente regional da Codevasf em Alagoas Antônio Nélson de Azevedo concorda com esta avaliação e acrescenta que o modelo de gestão compartilhada que reúne órgãos públicas em diferentes esferas de governo também deverá ser referência no Brasil. “O Ceraqua São Francisco já nasce como referência na aquicultura e pesca brasileiras, mas os avanços que estamos experimentando demonstram que a forma como será administrado também será referência para a gestão pública brasileira”, acrescentou.

SAIBA MAIS SOBRE O CERAQUA

O Ceraqua São Francisco surgiu a partir da estrutura da antiga Estação de Piscicultura de Itiúba (EPI) da Codevasf com investimento de aproximadamente R$ 8,5 milhões do Governo Federal por meio da Codevasf e do Ministério da Pesca e Aquicultura.

O centro conta com equipamentos e laboratórios de última geração como cromatógrafo gasoso, microscópios de fluorescências, espectofotômetro e de nutrição e laboratórios de bromatologia, de ictiopatologia, de genética, de limniologia e de biotecnologia.