Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Extensão do Programa de Eficiência Energética no Jaíba
conteúdo

Notícias

Extensão do Programa de Eficiência Energética no Jaíba

O diretor da Área de Irrigação da Codevasf, Raimundo Deusdará Filho, esteve em Minas Gerais para acompanhar o anúncio da extensão do Programa de Eficiência Energética, com o inicio das obras de substituição dos sistemas de irrigação do Perímetro Irrigado de Jaíba, beneficiando 1.044 pequenos produtores das áreas A,B, C3,D e F
publicado: 17/02/2009 17h07, última modificação: 20/06/2018 17h03

O diretor da Área de Irrigação da Codevasf, Raimundo Deusdará Filho, esteve em Minas Gerais para acompanhar o anúncio da extensão do Programa de Eficiência Energética, com o inicio das obras de substituição dos sistemas de irrigação do Perímetro Irrigado de Jaíba, beneficiando 1.044 pequenos produtores das áreas A,B, C3,D e F. O dirigente estava acompanhado do vice-governador mineiro Antônio Augusto Anastasia e de vários secretários de Estado, pequenos produtores e outras autoridades.

No ano passado, 89 produtores foram contemplados com esse benefício. “Com a instalação desse novo sistema, que permitirá a operação da irrigação de forma automatizada e o uso do relógio noturno, será facilitada a operação de todo o sistema de irrigação do Perímetro Jaíba e a redução no custo da energia elétrica e da água”, afirmou Deusdará Filho. Ele disse acreditar na melhoria das condições de exploração dos lotes pelos pequenos produtores. “E foi com esse objetivo que a Codevasf, já em 2007, instalou modelo semelhante desse sistema, beneficiando 458 pequenos produtores daquele Perímetro Irrigado”, concluiu.

Anderson Chaves, superintendente da Codevasf em Minas, considera de grande valia essa parceria dos governos estadual e federal em favor da redução do custeio da produção de áreas irrigadas, principalmente dos pequenos produtores. “As participações do presidente da Codevasf, Orlando Castro, e do diretor Raimundo Deusdará têm sido de fundamental importância na melhoria das condições sócioeconômicas nos perímetros públicos implantados pela Companhia em Minas Gerais”, finalizou o superintendente.