Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2006 > Programa do BNDES pode ser viável para Codevasf
conteúdo

Notícias

Programa do BNDES pode ser viável para Codevasf

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) podem proporcionar parcerias de sucesso através do Programa de Investimentos Coletivos Produtivos (PROINCO), com foco nos Arranjos Produtivos Locais (APLs), coordenados pela Codevasf. Além de assessores das instituições, estavam presentes na reunião, o presidente da Companhia, Luiz Carlos Everton de Farias; o vice-governador do Piauí, Osmar Júnior, o superintendente regional da Codevasf em Petrolina, Reginaldo Alves e o chefe do departamento Regional Nordeste do BNDES, Francisco José Couceiro de Oliveira.
publicado: 24/05/2006 16h33, última modificação: 20/06/2018 16h59

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) podem proporcionar parcerias de sucesso através do Programa de Investimentos Coletivos Produtivos (PROINCO), com foco nos Arranjos Produtivos Locais (APLs), coordenados pela Codevasf. Além de assessores das instituições, estavam presentes na reunião, o presidente da Companhia, Luiz Carlos Everton de Farias; o vice-governador do Piauí, Osmar Júnior, o superintendente regional da Codevasf em Petrolina, Reginaldo Alves e o chefe do departamento Regional Nordeste do BNDES, Francisco José Couceiro de Oliveira.

“Buscamos pontos de convergências e queremos apoiar parceiros que já estejam com nível de organização avançado”, explicou Oliveira. Para o BNDES, os empreendimentos coletivos passíveis de apoio devem ser instituições que realizem atividades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico; atividades de formação e treinamento de mão-de-obra especializada, agrícolas ou de serviços em atividades que envolvam pesquisa e desenvolvimento em tecnologia, como centrais de serviços, centrais de comercialização ou de compras, consórcios de exportação, condomínios industriais, cooperativas de crédito ou de garantia mútua, programas de certificação de qualidade ou de origem, programas de erradicação de pragas, tratamento de resíduos industriais, marca coletiva e iniciativas afins.

Para o BNDES, a Codevasf se enquadra no perfil dos parceiros estratégicos que terão o papel de indutores das ações de desenvolvimento. O presidente da Codevasf ressaltou os principais Arranjos Produtivos Locais em andamento no âmbito de atuação da Companhia e explicou que a maioria das ações está em estágio avançado, com associações e a comunidade organizadas. “Temos todo o interesse de nos tornarmos parceiros estratégicos para a geração de oportunidades, além de permitir a continuidade de ações de grande importância local”, enfatizou.