Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2004 > Tribuna de Alagoas: transposição - AL e SE fazem consulta pública
conteúdo

Notícias

Tribuna de Alagoas: transposição - AL e SE fazem consulta pública

A Câmara Consultiva do Baixo São Francisco, que reúne os estados de Alagoas e Sergipe, fará uma consulta pública no próximo dia 14, em Propriá (SE), para discutir as propostas de ampliação de transposição das águas do Rio São Francisco para outros fins, além de abastecimento humano e para matar a sede dos animais.
publicado: 13/10/2004 06h00, última modificação: 05/10/2006 12h03

Evento será em Propriá, dia 14, mas plenária maior ocorre em Salvador

A Câmara Consultiva do Baixo São Francisco, que reúne os estados de Alagoas e Sergipe, fará uma consulta pública no próximo dia 14, em Propriá (SE), para discutir as propostas de ampliação de transposição das águas do Rio São Francisco para outros fins, além de abastecimento humano e para matar a sede dos animais. A plenária extraordinária acontecerá no Centro de Convenções, em Salvador (BA), próximo dia 26.

A primeira reunião será promovida pelo Baixo São Francisco representado pelos dois estados, mas em seguida, dia 19, haverá outra em Bom Jesus da Lapa (BA). Dia 21 será em Belo Horizonte; dia 22, Petrolina (PE) e dia 23, em Pirapora (MG). São quatro Câmaras Consultivas Submédio, Médio e Alto São Francisco, além do Baixo. As reuniões foram agendadas pela diretoria do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF).

De acordo com o secretário do Comitê, Luís Carlos Fontes, o CBHSF já definiu que não haverá obstáculos para que seja feita a transposição das águas do rio para uso humano e animal mesmo sem a revitalização. Conforme a diretoria do Comitê, o governo federal pretende destinar 70% das águas da transposição para uso industrial, irrigação, piscicultura e criação de camarão.

Os membros do comitê conclamam a sociedade para participar das reuniões. Segundo o secretário-executivo de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Naturais (Semarhn), Ronaldo Lopes, outro ponto que será pauta nessas reuniões refere-se ao Programa de Desenvolvimento Sustentável do Semi-árido e da Bacia do São Francisco.

O programa será apresentado pelo governo federal como proposta de negociação para atendimento à transposição do rio para abastecimento humano e animal. A Semarhn providenciou um ônibus que sairá do Centro Administrativo Governamental, em Jacarecica, na próxima quinta-feira, às 6h, com destino a Própria, transportando técnicos do próprio órgão, da Ufal, Federação dos Pescadores, Secretaria de Educação, IMA, entre outras entidades.

Também sairão veículos transportando as comunidades ribeirinhas de Piranhas, Piaçabuçu, Penedo, Igreja Nova e outros municípios da região. Polêmica A transposição de águas do Rio São Francisco é um projeto que gera muita polêmica. Constitui, basicamente, na utilização das águas do rio para a perenização de rios e açudes da Região Nordeste durante os períodos de estiagens. Os estados beneficiados seriam: Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará e por isso a idéia é defendida pelos políticos destes estados. J

á os políticos de Minas Gerais, Bahia, Alagoas e Sergipe não a aceitam bem, preocupados com os efeitos em seus estados. A primeira coisa que é preciso saber sobre a transposição é se há água suficiente e principalmente para que ela será usada. Há também os problemas ambientais do São Francisco, como o assoreamento e poluição que ocorre em maior intensidade em Minas e na Bahia. Para a execução do projeto é necessário que haja um rigoroso levantamento sobre a sustentabilidade da transposição e principalmente que seja feito um projeto consistente sobre os possíveis impactos ambientais.