Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2004 > NORDESTE RURAL:TOMATE DO SERTÃO DO SÃO FRANCISCO DÁ LUCRO
conteúdo

Notícias

NORDESTE RURAL:TOMATE DO SERTÃO DO SÃO FRANCISCO DÁ LUCRO

publicado: 01/10/2004 09h40, última modificação: 17/08/2006 15h59

Por Michele Garziera

O Vale do São Francisco é hoje a principal região produtora de tomate de mesa do país. Este ano os agricultores estão satisfeitos com a safra. Os trezentos hectares plantados entre os municípios de Lagoa grande e Santa Maria da Boa Vista trouxeram lucro.

A queda na produção de outras regiões do país aumentou o preço. No ano passado o valor pago por uma caixa de trinta quilos foi de 15 reais. Este ano o mesmo valor já chegou a 44 reais. Muitos agricultores que plantaram no ano passado resolveram apostar na cultura novamente neste ano.

A maior parte das plantações está localizada na comunidade de açude saco. Na década de 80 esta mesma região foi uma das principais fornecedoras de matéria-prima para a indústria tomateira do país. As fábricas fecharam e a cultura enfraqueceu. Há cerca de 5 anos sementes desenvolvidas pela Empresa Pernambucana de Pesquisa Agropecuária, IPA, deram um impulso para os agricultores, que trocaram as indústrias pela venda ao consumidor, produzindo o tomate de mesa, conhecido como tomate rasteiro.

Hoje o tomate do sertão do São Francisco abastece praticamente toda a região Nordeste do país. A região do Açude Saco não se destaca apenas por ser a principal produtora de tomate de mesa do país. No local também são gerados 2 mil empregos diretos e indiretos no período da safra. Uma alternativa de renda para os moradores da região.