Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2004 > CODEVASF DESENVOLVE AÇÕES DE COMBATE À DESERTIFICAÇÃO
conteúdo

Notícias

CODEVASF DESENVOLVE AÇÕES DE COMBATE À DESERTIFICAÇÃO

publicado: 06/08/2004 11h35, última modificação: 17/08/2006 16h02

O presidente da Codevasf Luiz Carlos Everton de Farias foi um dos mediadores da mesa redonda Oportunidades da Implementação do Plano Nacional de Combate à Desertificação –(PAN), que aconteceu nesta sexta-feira (6), durante o encerramento da Conferência Sul-Americana sobre Combate à Desertificação, realizada em Fortaleza(CE).

 O debate reuniu o presidente do BNB, Roberto Smith, o Secretário de Recursos Hídricos do Estado do Ceará (SRH/CE), Ednardo Rodrigues e o Diretor Geral do DNOCS, Eudoro Santana, além de representantes da Adene e da Ação Social Arquidiocesana ( ASA). A Conferência Sul-Americana sobre o Combate à Desertificação começou no último dia 4.

 Na abertura, aconteceu o lançamento do Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação, que conta com a participação da Codevasf.. O objetivo desse encontro era propor uma revisão dos problemas de implementação da Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD), realizada há 10 anos, além de verificar o que foi alcançado nesse período.

Segundo a ONU, o efeito ameaça 1,5 bilhão de pessoas. Os processos de desertificação são registrados em 30% da superfície terrestre, incluindo algumas das regiões mais pobres do planeta.

O semi-árido nordestino é uma das regiões mais susceptíveis ao problema. Ele representa 18% do Território Nacional e tem uma população que corresponde a 29% do total de habitantes do país. Quatro núcleos de desertificação foram definidos pelo Ministério da Integração Nacional.

Eles estão localizados em Irauçuba(CE), Seridó (RN), Gilbués (PI) e Cabrobó (PE). Os dois últimos estão localizados em área de atuação da Codevasf, que desenvolve ações para evitar que o problema de agrave também em outras regiões. A irrigação aliada aos cuidados com o meio ambiente têm promovido o desenvolvimento, ajudando as populações de áreas do semi-árido nordestino.

Todos os projetos da Codevasf possuem infra-estrutura de drenagem que é um quesito básico na prática de irrigação. Isso contribui para a conservação do manejo racional da água e do solo nessa atividade.  Em sua apresentação o presidente da empresa ressaltou a missão da Codevasf em promover o desenvolvimento de regiões extremamente pobres.

 Hoje, 90% de um total de 10.600 dos lotes de agricultura irrigada nos projetos são ocupados por pequenos produtores. Os projetos geram emprego e renda, promovendo o desenvolvimento social. A Companhia também participa do projeto de macrozoneamento ecológico da Bacia do Parnaíba, em convênio com o Ministério do Meio Ambiente.