Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Retomada de ações da Codevasf no Norte de Minas soma R$ 6,3 milhões
conteúdo

Notícias

Retomada de ações da Codevasf no Norte de Minas soma R$ 6,3 milhões

A presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Kênia Marcelino, assinou, na manhã desta quarta-feira (1º), dois contratos para retomada de obras que permitirão a conclusão dos sistemas de esgotamento sanitário dos municípios de Bocaiuva e Ponto Chique, no Norte de Minas Gerais. Ainda como parte dos compromissos no estado, foi autorizado, também, o reinício da construção do entreposto de mel de Bocaiuva. Juntos, esses empreendimentos somam cerca de R$ 6,3 milhões em investimentos federais, beneficiando quase 40 mil pessoas.
publicado: 01/02/2017 12h22, última modificação: 20/06/2018 17h35

Presidente da Companhia autorizou, nesta quarta (1º), conclusão de obras de esgotamento e de entreposto de mel; mais de 40 mil pessoas serão beneficiadas

A presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Kênia Marcelino, assinou, na manhã desta quarta-feira (1º), dois contratos para retomada de obras que permitirão a conclusão dos sistemas de esgotamento sanitário dos municípios de Bocaiuva e Ponto Chique, no Norte de Minas Gerais. Ainda como parte dos compromissos no estado, foi autorizado, também, o reinício da construção do entreposto de mel de Bocaiuva. Juntos, esses empreendimentos somam cerca de R$ 6,3 milhões em investimentos federais, beneficiando quase 40 mil pessoas.

Quando concluído, o sistema de Bocaiuva será composto por estruturas que incluem rede coletora e interceptor com extensão de 2,6 mil metros, 365 ligações intradomiciliares, quatro elevatórias e uma estação de tratamento de esgoto. O sistema de Ponto Chique, por sua vez, terá rede coletora e interceptor de 18,3 mil metros, 804 ligações intradomiciliares, uma elevatória e uma estação de tratamento de esgoto. As obras devem ser concluídas 240 dias após a assinatura das ordens de serviço.

O SES de Bocaiuva compreende investimento de R$ 2,9 milhões e beneficiará 36,5 mil habitantes do município. Os investimentos no SES de Ponto Chique também alcançam cerca de R$ 2,9 milhões e permitirão acesso a saneamento a 2,9 mil habitantes do município.

Conservação dos recursos naturais

A Codevasf investiu até hoje no âmbito do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do rio São Francisco cerca de R$ 1,8 bilhão na implantação de sistemas de esgotamento sanitário. As ações promovem a recuperação e a conservação hidroambiental da bacia, melhoram as condições sanitárias locais e contribuem para a conservação dos recursos naturais e para eliminação de focos de poluição. A atuação da Codevasf em obras e ações de revitalização na bacia do São Francisco integram os esforços do governo federal no setor e estão sendo reforçadas no âmbito do Plano Novo Chico.

“A retomada dessas obras de esgotamento em Bocaiuva e Ponto Chique já faz parte do Novo Chico, lançado em agosto do ano passado pelo presidente Michel Temer. São mais recursos para todos os estados que fazem parte da bacia hidrográfica. Só no estado de Minas, nos últimos anos, foram investidos mais de R$ 122 milhões em revitalização”, destacou a presidente da Codevasf.

Entreposto de mel

ApiculturaPara incrementar a produção de mel e fortalecer o trabalho dos apicultores do Norte de Minas, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) retomará as obras do Entreposto de Mel de Bocaiuva, estabelecimento destinado ao recebimento, à classificação e à industrialização do produto e seus derivados. A autorização foi dada nesta quarta (1º), pela presidente da Codevasf, Kênia Marcelino.

A construção do entreposto, na Fazenda Bahia, está sendo realizada pela Codevasf em parceria com a Secretaria de Reordenamento Agrário (do extinto Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA), com a Associação dos Apicultores de Bocaiuva (Apiboc) e com a Associação dos Trabalhadores e Pequenos Produtores Rurais da Comunidade Tolda e Região. Os investimentos somam R$ 494 mil, sendo R$ 400 mil do Programa Nacional do Crédito Fundiário do MDA e R$ 94 mil do Ministério da Integração Nacional (MI).

O entreposto permite a extração e envase do mel dentro dos padrões sanitários exigidos pela legislação, assegurando o acesso dos produtos ao mercado institucional de compra de alimentos e aos demais os mercados. Além disso, estimula a organização social e cooperativa dos apicultores, com a melhoria das condições socioeconômicas das famílias dos produtores, e promove o uso sustentável dos recursos naturais.

“Hoje autorizamos o reinício à construção de um entreposto de mel no município de Bocaiuva. Esse é um esforço do governo federal, do Ministério da Integração Nacional e da Codevasf. Serão investidos quase R$ 500 mil, dando continuidade às ações de apoio à inclusão produtiva em Minas Gerais. De 2014 a 2016, já foram investidos no estado mais de R$ 110 milhões em ações de agricultura familiar, apicultura, apoio à horticultura, ações criativas (corte cultura, artesanato), aquicultura e capacitação de jovens”, afirma Kênia Marcelino.

Expectativa

O aumento da produção e a agregação de valor ao mel são alguns resultados esperados pelos apicultores da região – com essa ação, devem ser beneficiados em torno de 500 produtores. Segundo o engenheiro de produção Luciano Fernandes, tesoureiro da Associação dos Apicultores de Bocaiuva (Apiboc) e presidente da Cooperativa dos Apicultores e Agricultores Familiares do Norte de Minas (Coopemapi), a expectativa, com a conclusão do entreposto, é que sejam produzidas, anualmente, 1.000 toneladas de mel – hoje, esse dado é de 300 toneladas/ano.

O valor do produto, que atualmente é comercializado em tonéis, também deve subir: de 11,00/kg para 17,00/kg, e, desta vez, fracionado. “É um sonho. O entreposto vai dar sustentabilidade e condições de crescimento pra apicultura na região, pois o mel será devidamente processado e inspecionado, podendo, inclusive, ser exportado. Sem qualificação e sem inspeção, o apicultor fica desestimulado a produzir. O entreposto será, então, uma garantia de compra e venda para o produtor”, explica Fernandes.

Ainda de acordo com o produtor norte mineiro, o entreposto também abre possibilidades para a comercialização do mel de melato de aroeira, uma substância encontrada exclusivamente no ecossistema Mata Seca, no norte e noroeste de Minas Gerais. “Para os apicultores terem esse ganho a mais, tem que ter esse entreposto. Sem ele, teria que passar esse mel para outros entrepostos, e aí a agregação de valor ficaria muito baixa”, explica ele.

Incentivo à apicultura

Nos últimos três anos, foram distribuídos 484 kits de produção apícola familiar na região do Norte de Minas, com mais de 8.000 colmeias instaladas em 22 municípios (São Francisco, Januária, Mato Verde, Nova Porteirinha, Porteirinha, Mirabela, Bocaiuva, Matias Cardoso, Catuti, Espinosa, Serranópolis de Minas, Gameleiras, Bonito de Minas, Engenheiro Navarro, Francisco Sá, Guaraciama, Janaúba, Montes Claros, Pai Pedro, Pedras de Maria da Cruz, São João da Ponte e Claro dos Poções).

Desde 2004, a Codevasf já forneceu kits produtivos apícolas comunitários para equipar as unidades de extração e beneficiamento de mel nos municípios de Espinosa, Serranópolis, São João da Ponte, Januária, Bonito de Minas, Pedras Maria da Cruz, Guaraciama, Engenheiro Navarro, Bocaiuva, Porteirinha, Mato Verde, Jaíba, Janaúba, Nova Porteirinha, Brazilândia de Minas, São João das Missões, Juramento, Morada Nova, Felixlândia, São Francisco, Mirabela, Gameleiras, Montes Claros, Mato Verde, Claro dos Poções, Francisco Sá e Pai Pedro, em benefício de mais de 500 famílias.

A Codevasf e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/MG) estimam que existam cerca de 1.000 apicultores na região, com uma produção de 800 toneladas de mel ano e que 80% dessa produção é exportada via entrepostos de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Os municípios de Bocaiuva e Guaraciama respondem por 25% da produção do Norte de Minas e, a nível estadual, respectivamente, ocupam a 3° e a 9° posição entre os maiores produtores de mel.

Fotografia: https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157676252699073