Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Produtores do semiárido mineiro terão abastecimento assegurado pela Codevasf
conteúdo

Notícias

Produtores do semiárido mineiro terão abastecimento assegurado pela Codevasf

Os cerca de 460 agricultores do projeto público de irrigação Gorutuba, no Norte de Minas, serão beneficiados com a obra de recuperação, reforma e aperfeiçoamento dos canais de abastecimento de água do perímetro. O anúncio foi feito pela presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Kênia Marcelino, nesta terça-feira (31), durante ato no auditório da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, em Nova Porteirinha (MG).
publicado: 31/01/2017 18h39, última modificação: 20/06/2018 17h35

Kênia Marcelino anuncia conclusão de obra que possibilitará economia de água, ampliação na área irrigada e redução de custos de manutenção no projeto Gorutuba

Os cerca de 460 agricultores do projeto público de irrigação Gorutuba, no Norte de Minas, serão beneficiados com a obra de recuperação, reforma e aperfeiçoamento dos canais de abastecimento de água do perímetro – um investimento de aproximadamente R$ 62 milhões do governo federal. O anúncio foi feito pela presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Kênia Marcelino, nesta terça-feira (31), durante ato no auditório da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, em Nova Porteirinha (MG).

“Uma das expertises da Codevasf são os projetos de irrigação. Milhares de famílias estão produzindo, dependem desses projetos, e geram riquezas para os municípios. Mais do que nunca o nosso compromisso é modernizar esses projetos de irrigação para que os produtores consigam produzir mais, com um custo menor – porque essa diferença vai para o bolso deles”, destacou a presidente da Companhia.

Dentre os benefícios previstos para os produtores, na maioria agricultores familiares, estão a economia de água, com a melhoria na eficiência de condução e distribuição hídrica, que nos níveis atuais gira em tono de 56% e, após a obra, alcançará 90%; a possibilidade de ampliação da área irrigada; a redução nos custos de manutenção da infraestrutura de uso comum; e o atendimento de uma exigência para obtenção do licenciamento ambiental de operação do perímetro.

A ação da Codevasf no projeto Gorutuba prevê a recuperação do canal principal e a substituição dos demais canais abertos por sistema de tubulação, incluindo a Produtor bananaautomação de tarefas de medição, monitoramento e controle. Ao todo, serão substituídos cerca de 56 quilômetros de canais diversos do perímetro. A partir da retomada dos serviços, prevista já para fevereiro, o prazo estimado de duração da obra é de 18 meses.

“Essa obra é fundamental para a sustentabilidade hídrica do perímetro. Vai melhorar a garantia de água para a produção”, afirmou o engenheiro agrícola e gerente do Distrito de Irrigação do Gorutuba, Ricardo Carreiro.

Produção

O projeto público de irrigação Gorutuba possui área irrigável de 4,7 mil hectares. O principal cultivo dos produtores é a banana (prata e nanica), que corresponde a 70% da área plantada. A cultura do mogno já ocupa lugar de destaque e representa o segundo principal cultivo.

Os dados da produção de 2016 ainda não foram consolidados, mas, em 2015, o valor bruto da produção atingiu R$ 69,2 milhões, com 46,3 mil toneladas produzidas. Dos 458 lotes irrigados do projeto, 393 são ocupados por agricultores familiares e 65 por empresários.

Implantado em 1979 no município de Nova Porteirinha, no semiárido mineiro, o projeto é abastecido pela barragem Bico da Pedra, formada pelo represamento do rio Gorutuba. O perímetro, gerido pela Codevasf, é um importante polo de empregos na região, responsável pela manutenção de cerca de 4 mil postos de trabalho diretos e 2 mil indiretos.

Repovoamento

Três mil juvenis de curimatã-pacu foram soltos nesta terça-feira na barragem Gorutuba, que é fonte hídrica do projeto Gorutuba. As espécies foram produzidas numa parceria entre os centros integrados de recursos pesqueiros e aquicultura de Gorutuba e de Três Marias, unidades técnico-científicas da Codevasf em Minas.

Segundo o engenheiro de pesca Maurício Gross, chefe do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Gorutuba, essa ação ambiental da Codevasf visa repovoar e recompor a ictiofauna do rio Gorutuba, uma sub-bacia do rio São Francisco que deságua antes no rio Verde.

centros integrados“Ao longo do ano, promovemos diversas ações de peixamento como essa visando repovoar não somente a barragem Gorutuba, mas também outras barragens da região, como as de Espinosa, Estreito, Francisco Sá, São Domingos, Canabrava e Pedro Ju”, enumerou Gross.

A produção média anual do centro de Gorutuba, atualmente, é de 500 mil alevinos. Uma reforma em curso, que totaliza R$ 5 milhões e vai promover modernização completa da unidade, deve dobrar a produção, que poderá passar para, pelo menos, um milhão de alevinos por ano.

“Os recursos que estão sendo utilizados nesses centros integrados são originários do Programa de Revitalização das Bacias Hidrográficas do São Francisco, que é uma das principais bandeiras do governo federal. Essa obra é uma continuidade das ações que já estão sendo desenvolvidas”, explicou a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, durante visita ao Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Gorutuba.

Ouça o depoimento da presidente da Codevasf:

https://soundcloud.com/codevasf/kenia-marcelino-fala-sobre-recursos-pesqueiros-e-acoes-emergenciais-executadas-em-gorutubamg

Confira o depoimento do presidente da AMAMS: https://soundcloud.com/codevasf/presidente-da-amams-ze-reis-elogia-quadro-tecnico-da-codevasf-na-elaboracao-de-projetos

Veja fotografias:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157679804459955