Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Produção de alimentos em projetos de irrigação da Codevasf em Sergipe cresce 10% em 2016
conteúdo

Notícias

Produção de alimentos em projetos de irrigação da Codevasf em Sergipe cresce 10% em 2016

Os projetos de irrigação Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume, no Baixo São Francisco Sergipano, alcançaram a marca de 39.860 toneladas de alimentos produzidas no ano de 2016. De acordo com dados da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), a produção nos perímetros irrigados em Sergipe teve um aumento de 10,6% em relação ao ano anterior. Os irrigantes da região se dedicam especialmente ao cultivo de arroz, pescados, coco e milho verde.
publicado: 24/04/2017 10h13, última modificação: 20/06/2018 17h36

Os projetos de irrigação Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume, no Baixo São Francisco Sergipano, alcançaram a marca de 39.860 toneladas de alimentos produzidas no ano de 2016. De acordo com dados da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), a produção nos perímetros irrigados em Sergipe teve um aumento de 10,6% em relação ao ano anterior. Os irrigantes da região se dedicam especialmente ao cultivo de arroz, pescados, coco e milho verde.

O levantamento aponta também para um aumento da área plantada de 4,9% em relação ao ano de 2015. No ano passado, a área cultivada chegou a 8.049 hectares. Contribuiu para este resultado o aumento da área de plantio de arroz, que cresceu aproximadamente 12% no ano de 2016, chegando a 4.150 hectares plantados na última safra de verão. O valor bruto de produção acompanhou a tendência positiva e saltou de aproximadamente R$ 25 milhões em 2015 para a cifra de R$ 32,5 milhões no ano passado – um aumento de 30%.

O gerente executivo do Distrito de Irrigação de Betume, Wendel Mota dos Reis, afirmou que os irrigantes estão satisfeitos com os resultados da última safra e projeta futuras melhorias. “Tivemos o maior número de lotes plantados na história do projeto Betume, com altos índices de produtividade e um custo-benefício excelente, mesmo com todas as dificuldades. Com os perímetros reabilitados, acreditamos que podemos ter safras ainda melhores”, declarou.

O resultado positivo adquire mais importância quando são levados em consideração a forte estiagem que atinge o Nordeste brasileiro e as sucessivas reduções da vazão do rio São Francisco. “A Codevasf se antecipou e conseguiu adquirir 16 flutuantes antes da redução da vazão do rio para os atuais 700 metros cúbicos por segundo. São esses equipamentos que propiciam hoje o funcionamento dos projetos”, explicou o gerente regional de Irrigação, Ricardo Martins.

Em 2017, a Codevasf investiu R$ 173,6 mil para adquirir três novos sistemas de captação flutuantes. No ano passado, a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional destinou R$ 2,2 milhões para a mesma finalidade, possibilitando a readequação os sistemas de captação e bombeamento de água dos projetos Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume. Outra ação importante é a reabilitação de trechos de canais de irrigação dos projetos Propriá e Cotinguiba/Pindoba, ainda em andamento.

Emenda impositiva

trator riziculturaA programação de investimentos para a reabilitação dos projetos Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume foi discutida pelo diretor da Área de Empreendimentos de Irrigação, Napoleão Casado, o superintendente regional da Codevasf em Sergipe, César Mandarino, e técnicos da empresa, em visita do diretor da Área de Irrigação à 4ª Superintendência Regional (Sergipe). O objetivo foi traçar uma estratégia para a licitação de obras e serviços com recursos da emenda parlamentar impositiva no valor de R$ 100 milhões, destinada pela bancada federal de Sergipe, com o objetivo de garantir melhorias para cerca de 1.300 irrigantes dos projetos do Baixo São Francisco Sergipano.

O diretor da Área de Irrigação, Napoleão Casado, afirmou que a destinação da emenda da bancada federal de Sergipe representa uma oportunidade para a renovação dos projetos de irrigação em Sergipe. “Estamos vivendo um momento de crise hídrica, então esse recurso chega em um momento muito bom, porque vai nos permitir fazer a readequação de canais, sistemas de bombeamento e outras melhorias. Quem tem a ganhar com isso são produtores e toda a sociedade na região, afirmou o diretor.

A reabilitação de canais de irrigação deverá ser a primeira ação a ser licitada dentro da programação de investimentos da emenda impositiva. “A equipe da 4ª Superintendência Regional (Sergipe) está de parabéns, pois tão logo foi anunciada a emenda, foi iniciada a articulação com os técnicos e o cronograma traçado está sendo seguido à risca. Ficamos muito felizes que a primeira etapa, que é a reabilitação dos canais, já está pronta para ser licitada”, acrescentou o diretor Napoleão Casado.

O superintendente regional César Mandarino ressaltou o compromisso em dar agilidade à execução das ações e solicitou ao diretor da AI, Napoleão Casado, que o processo de licitação do serviço de reabilitação de canais encaminhado à diretoria seja executado com celeridade.

“A emenda tem uma finalidade importante: reabilitar toda a infraestrutura física dos projetos Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume dentro do limite dos recursos. Dessa forma vamos dar uma sobrevida aos perímetros por vários anos. As ações têm sido mostradas e estou bastante satisfeito com os trabalhos feitos pela equipe da 4ª/SR com a participação dos colegas de outras superintendências que estiveram por aqui nos ajudando”, declarou César Mandarino.

No ano passado, a bancada federal de Sergipe apresentou emenda impositiva ao Orçamento Geral da União em 2017 destinando recursos da ordem de R$ 100 milhões para a Codevasf executar ações de reabilitação dos projetos Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume. Os valores serão investidos na recuperação de canais e vias de circulação internas, aquisição de sistemas de captação flutuantes, reabilitação da rede de drenagem, entre outras iniciativas.

Os projetos de irrigação Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume criam aproximadamente 8.000 empregos diretos e indiretos no Baixo São Francisco Sergipano. A rizicultura é a principal atividade nos perímetros irrigados e responde por aproximadamente 80% da sua produção. Além do cultivo de arroz, se destacam na região também as culturas do coco, milho verde, pescados, frutas e grama.

Fotografia: https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157679658262603/with/33354365383/

Ouça os depoimentos citados na matéria: https://soundcloud.com/codevasf/sets/codevasf-discute-estrategias-para-aplicacao-de-recursos-de-emenda-impositiva-em-sergipe