Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Presidente da Codevasf debate projeto do Canal do Xingó em Sergipe
conteúdo

Notícias

Presidente da Codevasf debate projeto do Canal do Xingó em Sergipe

A elaboração do projeto básico da primeira fase do Canal do Xingó e as ações da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para a execução do projeto – que vai demandar um investimento estimado de R$ 16 milhões – foram apresentadas em Aracaju pela presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, no Palácio dos Despachos e também durante o evento “Canal Xingó – Concepção Técnica, Potencialidades e Perspectivas”.
publicado: 03/04/2017 18h02, última modificação: 20/06/2018 17h36

No Palácio dos Despachos e em palestra na sede da Aease, Kênia Marcelino falou sobre investimento de R$ 16 milhões

A elaboração do projeto básico da primeira fase do Canal do Xingó e as ações da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para a execução do projeto – que vai demandar um investimento estimado de R$ 16 milhões – foram apresentadas em Aracaju pela presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, no Palácio dos Despachos e também durante o evento “Canal Xingó – Concepção Técnica, Potencialidades e Perspectivas”.

No Palácio dos Despachos, para o governador Jackson Barreto, Kênia Marcelino apresentou o cronograma de ações para viabilizar a implantação da primeira fase do Canal do Xingó e falou sobre os benefícios da obra, que vai ofertar água para a população de cinco municípios de Sergipe e dois da Bahia.

Com os recursos garantidos após ação conjunta entre a Codevasf, o Ministério da Integração Nacional e a bancada federal de Sergipe, a licitação do projeto básico deverá ser publicada no próximo mês de maio. A ação será financiada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Na palestra “Canal Xingó – Concepção Técnica, Potencialidades e Perspectivas”, promovida pela Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe (Aease) e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Sergipe, a apresentação foi conduzida pelo gerente de Implantação de Obras da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura da Codevasf, Luiz Augusto Fernandes, que detalhou do projeto e tirou dúvidas dos participantes.

A presidente Kênia Marcelino e o superintendente regional César Mandarino também apresentaram algumas ações executadas pela Codevasf no estado de Sergipe. No evento, também houve a instalação do Fórum Permanente de Convivência com a Seca – Canal Xingó, iniciativa conjunta entre a Aease e a OAB/SE.

A palestra na Aease contou com a presença dos senadores Antônio Carlos Valadares e Eduardo Amorim, do deputado federal Valadares Filho, do deputado estadual Garibalde Mendonça, do presidente da Aease, Fernando Andrade, do presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade, do presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (CREA/SE), Arício Resende, além de secretários e técnicos do governo estadual, prefeitos e vereadores.

Apresentação Kênia“É importante frisar que neste momento a gente percebe uma união entre governos federal, estadual e municipais, o Congresso Nacional e a sociedade organizada de uma forma geral em torno desse projeto, que vai trazer desenvolvimento para o estado de Sergipe. Percebemos que é um momento ímpar para que o estado una esforços para viabilizar recursos estimados em R$ 870 milhões para a execução da primeira etapa da obra”, disse a presidente da Codevasf.

Kênia Marcelino afirmou que o objetivo da Codevasf é ter parte do projeto básico concluído até o final do ano para buscar junto ao Congresso Nacional a destinação de emenda parlamentar ou de recursos da União para início das obras em 2018. “Para que as obras sejam iniciadas, precisamos de dotação orçamentária e, por isso, mais do que nunca, esperamos a união do estado para conseguirmos viabilizar os recursos”, acrescentou.

No evento, o senador da República Antônio Carlos Valadares falou sobre o apoio para tornar realidade o Canal do Xingó, que classificou como uma obra magistral. “Vai criar um impacto positivo na região e sanar a falta de água, que é um problema gravíssimo. Estão todos fazendo a sua parte, incluindo os parlamentares e o governo estadual, mas temos que reconhecer que o governo federal está dando uma contribuição enorme para realizar um grande sonho com a elaboração do projeto básico”, afirmou o senador. “O dono desse projeto é o povo de Sergipe. E é com esse espírito de unidade que iremos em outubro viabilizar o melhor possível em termos de recursos para esse projeto”, acrescentou.

O senador Eduardo Amorim também destacou a importância da obra e frisou a necessidade de somação de esforços para execução desse empreendimento tão esperado pela população dos estados da Bahia e de Sergipe. "Está mais do que comprovado que a melhor opção para o nosso semiárido é o Canal de Xingó, por isso vamos procurar os parlamentares para que possamos apresentar emendas de bancada para o próximo ano. São momentos como esse que mudaram a nossa história de forma positiva, independente de bandeiras partidárias, todos unidos em prol de Sergipe", afirmou Amorim.

Estratégia positiva

O governador de Sergipe, Jackson Barreto, considerou positiva a estratégia da Codevasf no sentido de viabilizar a execução da obra a partir do próximo ano. “Acho que o chamamento já foi feito para a unidade da bancada de Sergipe no Congresso Nacional, além da participação direta também do governo do estado. Envidaremos todos os esforços não apenas com nossa bancada, mas com nosso relacionamento em Brasília”, declarou.

Kênia Marcelino esteve acompanhada também do diretor da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura, Marco Aurélio Diniz, do gerente de Implantação de Obras, Luiz Augusto Fernandes, do gerente de Estudos e Projetos, Renato Brito Chaves, além de técnicos da empresa.

Participaram ainda da reunião no Palácio dos Despachos o vice-governador Belivaldo Chagas, a procuradora da República Lívia Tinôco, os deputados federais Laércio Oliveira e Jony Marcos, o deputado estadual Jairo de Glória, além de secretários e técnicos do governo estadual.

Projeto

A primeira fase do Canal do Xingó inclui os primeiros 114,55 quilômetros do empreendimento, que vai desde a captação de água no reservatório de Paulo Afonso IV (BA), passando por Santa Brígida (BA) e Canindé de São Francisco (SE), até o antigo reservatório R-5 em Poço Redondo (SE). O anteprojeto de engenharia, finalizado pela Codevasf no ano passado, estimou em R$ 872 milhões o investimento necessário para a construção da primeira fase da obra.

Quando concluídas as duas fases da obra, o canal terá extensão prevista de 290 quilômetros. O canal vai fornecer água para usos múltiplos, incluindo consumo humano, agricultura irrigada, dessedentação animal e agroindústrias. As fases seguintes do empreendimento vão partir de Poço Redondo e prosseguir pelos municípios sergipanos de Porto da Folha, Monte Alegre de Sergipe e Nossa Senhora da Glória. O investimento previsto para a conclusão da obra é de R$ 2,5 bilhões.

Fotografias:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157682174138515

Ouça notícias da Codevasf:

https://soundcloud.com/codevasf