Você está aqui: Página Inicial > Linhas de Negócio > Irrigação > Projetos Públicos de Irrigação > Polos de Desenvolvimento
conteúdo

Polos de Desenvolvimento

Os perímetros irrigados traduzem a história da Codevasf. A partir da segunda metade da década de 60, a concentração de investimentos federais no vale do rio São Francisco, para criação de infraestrutura de irrigação e geração de energia elétrica, provocou novos investimentos voltados para o fortalecimento da infraestrutura socioeconômica. Contribuiu para isso o desenvolvimento que a região passou a apresentar com os impactos da agricultura irrigada na produção de alimentos, na criação de empregos e no aumento da renda regional. Nas décadas de 80 e 90, houve maior liderança do setor privado, por meio da organização dos empresários, motivado pela necessidade de competição nos mercados nacionais e internacionais, que passou a pressionar o Governo pela ampliação da infraestrutura.

As realizações pioneiras e os trabalhos persistentes da Codevasf, ao longo dos tempos, aliados às ações de instituições públicas e privadas, resultaram numa expressiva melhoria dos indicadores socioeconômicos do Vale, que dispõem, atualmente, de poderosos aparatos de energia e transporte. São nove os polos de desenvolvimento no vale do São Francisco. Excetuando-se os polos Brasília e Belo Horizonte, os demais resultaram, em grande parte, da concentração da irrigação e das demais ações da Codevasf.

Conheça melhor:

Esse polo, como o nome indica, situa-se no Norte de Minas e sua expansão tem ocorrido, no que concerne aos investimentos públicos, com a implantação dos perímetros Gorutuba, Jaíba, Lagoa Grande e Pirapora, totalizando 46.075 ha em operação.

O Jaíba conta com 19.080 ha implantados. Abrangerá uma área total de 65.879 mil ha quando estiver totalmente implantado, o que acarretará um desenvolvimento bastante significativo para a região, prevendo-se um crescimento demográfico da ordem de 200 mil pessoas.

Em fase de projeto, existe o Jequitaí com área total de 34.605 ha, sendo 16.012 ha com estudo de viabilidade concluído e 18.593 ha com o projeto básico concluído. Encontra-se no estágio de estudos prévios o projeto Rio das Velhas com área de 25.000 ha.

As principais fontes hídricas são os rios São Francisco, Verde Grande, Gorutuba, Jequitaí e das Velhas. A estrutura produtiva dos perímetros é bastante diversificada, com destaque para a produção da banana, uva, citrus, olerícolas e de grãos, além de sementes selecionadas.

Nesse polo, estão localizadas a Unidade de Transferência de Embriões de Montes Claros e a Estação de Piscicultura do Gorutuba. O polo apresenta grande potencialidade para o desenvolvimento da aquicultura. Os principais produtos e empreendimentos agrícolas e agroindustriais privados são:

  • Sementes diversas: Topssed, Dow Agrosciense, Sacata;
  • Derivados de leite: COOPAGRO, ITASA/NESTLÉ, LEITE VIDA e LEITE CATOPÊ;
  • Produção de frutas: CAP (Cooperativa Agrícola de Pirapora), Centraljai (Central de Associações dos Produtores Rurais do Projeto Jaíba), FRUTINOR (Associação dos Fruticultores do Norte de Minas), ABANORTE (Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas), BRASNICA Agroindustrial e Comércio Ltda., ABC2 (Associação dos Fruticultores da Gleba C-2 do Projeto Jaíba), Companhia da Fruta e Comércio de Banana Cobalchini;
  • Agroindústrias: Petrobras Biocombustível, Sada Bioenergia, Pomar Brasil, Hemmer, Best Pulp;
  • Empresas do Agronegócio: Brasnica, Simonica, Itacitrus;
  • Pesquisa: Embrapa, EPAMIG e FUNDETEC;
  • Instituições de ensino: UFMG, UNIMONTES, Faculdade Santo Agostinho e FUNORTE, FAVAG;
  • Entidades representativas de classe: Sociedade Rural, Sindicatos Rurais, AGRO-NM (Associação dos Engenheiros Agrônomos do Norte de Minas), AREA (Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos do Norte de Minas).

 

Potencialidades:

  • Rede intermodal de transporte e boa estrutura física para escoamento da produção;
  • Disponibilidade de uma ampla rede de ensino de nível médio, técnico e superior;
  • Condições edafoclimáticas favoráveis à atividade agropecuária;
  • Disponibilidade de energia elétrica em mais de 70% das propriedades rurais;
  • Topografia plana possibilitando a mecanização das lavouras;
  • Disponibilidade de água e energia nos perímetros públicos de irrigação;
  • Boa rede de serviços (hotéis, lazer, turismo, transporte aéreo);
  • Boa disponibilidade de mão-de-obra.

Situa-se na margem direita do rio São Francisco, na Bahia, e abrange os perímetros Estreito e Ceraíma, totalizando 2.511 ha em operação. O projeto Estreito IV, com 5.844 ha, encontra-se com 544,33 ha em operação e 5.299,67 ha em fase final de implantação. O projeto Vale do Iuiú, com área total de 88.306 ha, possui 9.037 ha com projeto básico em andamento e 79.269 ha com os estudos de pré-viabilidade e viabilidade concluídos. Os estudos básicos encontram-se em fase final, sendo que, da área de 9.037 ha, 45% serão destinados a microempresários e 55% a pequenos, médios e grandes empresários.

A fruticultura constitui-se na principal fonte de renda dos irrigantes, destacando-se a produção da banana. Encontram-se nesse polo a Unidade de Transferência de Embriões de Guanambi e a Estação de Piscicultura de Ceraíma. Os principais produtos e empreendimentos agrícolas e agroindustriais privados desse polo são:

  • Beneficiamento, produção de óleo bruto e de farelo de torta de algodão: ICOL (Indústria e Comercio de Óleos Vegetais Ltda.) e MERCAL (Mercantil Algodoeira Ltda.);
  • Leite pasteurizado e derivados do leite: Cooperativa Agropecuária de Candiba e Responsabilidade Ltda., Fazenda e Granja Carinho Ltda.

Localizado na margem esquerda do rio São Francisco, na Bahia, abrange os perímetros Formosinho e Formoso A/H, com uma área total de 12.436 ha em operação. Os projetos Correntina e Jaborandi encontram-se em fase de estudos prévios, com uma área total de 164.000 ha. As principais fontes de captação hídrica são os rios São Francisco, Corrente e Formoso. Os perímetros produzem basicamente frutas e grãos, destacando-se a banana, o milho e o feijão. A Unidade de Bovinocultura de Coribe encontra-se nesse polo. Os principais produtos e empreendimentos agrícolas e agroindustriais privados desse polo são:

  • Derivados do milho: SAHAN - Indústria e Comércio;
  • Leite pasteurizado e derivados do leite: Aires Castro Indústria e Comércio e SERRANO - Fabricação e Comércio;
  • Polpa de frutas: Nelson Nilter Pereira de Almeida, RAK - Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios e Iogurte Oeste;
  • Rapadura e aguardente: Renato Flores Alves, Aziel Borges de Almeida, João Batista Pereira da Silva, Alcides José Rosa, Waldina Alkmim Leão, Valter Oliveira Laranjeira Barbosa;
  • Doces, defumados e polpas: Projeto Amanhã;
  • Algodão beneficiado: Algodoeira Salinas - Alfredo Magalhães e Filho Ltda.;
  • Sementes de feijão: Bahia Solo – Agropecuária;
  • Produção de algodão e beneficiamento: Fazenda Buzato.

Situado no oeste baiano, apresenta-se como importante produtor de soja, que foi inicialmente cultivada por imigrantes sulistas. Ali encontram-se os perímetros São Desidério/Barreiras Sul, Riacho Grande, Nupeba e Barreiras Norte, com uma área total de 7.214 ha em operação. O projeto Brejos da Barra, com 4.300 ha, encontra-se em fase de estudos prévios. A principal fonte hídrica é o rio Grande.

A produção agrícola está bastante voltada para a fruticultura, principalmente no que se refere ao plantio de coco verde, banana, manga, e limão. As culturas de grãos também apresentam destaque, sobretudo o cultivo de feijão e milho. Por essa região apresentar grande potencialidade para a aquicultura, a Codevasf construiu uma Estação de Piscicultura em Barreiras.

Dentre os principais produtos e empreendimentos agrícolas e agroindustriais privados desse polo estão:

  • Extrato de tomate: Projeto Riger-Helmut;
  • Óleo de soja: CEVAL - Alimentos S/A e CARGILL - Agrícola S/A;
  • Ovos comerciais: EMAPE - Alimentos da Ibiapaba S/A;
  • Arroz, feijão e soja: Novo Horizonte Comercial Agropecuária Ltda.

Localiza-se na Bahia e abrange os perímetros Mirorós, com 2.099 ha em operação, e Baixio de Irecê, com uma área total de 58.659 ha, sendo que 53.936 ha encontram-se em fase de elaboração dos projetos executivo e básico e 4.723 ha em fase de implantação. As principais fontes hídricas são os rios São Francisco e Verde.

No Mirorós, destaca-se a produção da banana e da pinha, bastante difundidas também na irrigação privada, além do cultivo de goiaba, manga e coco. Trata-se de uma área com grande potencial de desenvolvimento, na qual a Codevasf está construindo uma Estação de Piscicultura em Xique-Xique.

Os principais produtos e empreendimentos agrícolas e agroindustriais privados desse polo são:

  • Doces, bolos, biscoitos e café: Francisca Firmino da Silva; Manoel Menezes Ribeiro - Doces Uibaí; Mônica Machado Medeiros - Doces Caseiros Caruá; Maria Neide Alves - Casa das Bolachas; Café Irecê - Indústria e Comércio Ltda. e Café Luxo da Bahia Indústria e Comércio Ltda.
  • Leite pasteurizado, derivados do leite e polpa de frutas: K e K - Polpas de Frutas e Laticínios Ltda.;
  • Iogurte: Jomária Bastos Amaral – MIMO e Lyder Indústria de Leites e Derivados Ltda.;
  • Derivados do milho: MOINHO POP - Indústria e Comércio Ltda.;
  • Saponáceos: RITZ - Indústria e Comércio de Produtos de Limpeza Ltda.