Você está aqui: Página Inicial > Linhas de Negócio > Irrigação > Projetos Públicos de Irrigação > Boletim Informativo dos Projetos da Codevasf (BIP) > 25ª Edição > Bioinseticida para controle das lagartas do cartucho e falsa-medideira
conteúdo

Bioinseticida para controle das lagartas do cartucho e falsa-medideira

por Valeria Rosa Lopes publicado 13/09/2021 15h46, última modificação 13/09/2021 15h46

Paulo Cerqueira

O uso de produtos biológicos na agricultura brasileira tem ganhado mais visibilidade nos últimos 10 anos, tornando nossa agricultura cada vez mais eficiente e sustentável.

Inseticidas microbiológicos ou bioinseticidas, à base de isolados da bactéria Bacillus thuringiensis (Bt), são produtos para aplicação foliar, indicado para o controle da Lagarta do cartucho (Spodoptera frugiperda) e Lagarta Falsa Medideira (Chrysodeixis includens) (Figuras 1 e 2), causadoras de danos econômicos aos Agricultores, atacando plântulas, folhas, espigas e perfurando a base do caule de diferentes culturas.

Dentre os cultivos afetados, tem-se agrião, alface, amendoim, arroz, cana-de-açúcar, cenoura, coco, couve, feijão, fumo, mamona, mandioca, maracujá, milheto, milho, pastagens, pimenta, pimentão, repolho, seringueira (Floresta implantada), soja e sorgo, mas conforme registro no Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA), esse tipo de produto pode ser aplicado em todas as culturas.

lagarta.png
Figura 1 (A e B) - Lagarta do Cartucho, Spodoptera (Spodoptera frugiperda)
Fonte: Promip, 2021

 

O produto é composto por isolados da bactéria Bacillus thuringiensis (Bt) e sua grande vantagem é que ele não afeta o meio ambiente, não é tóxico para trabalhadores e consumidores, não mata os inimigos naturais das pragas e não polui rios e nascentes.

Para sucesso da aplicação nos cultivos, o agricultor deve atentar para os seguintes aspectos de manejo: as lagartas devem estar no período de recém-nascidas até no máximo quatro dias de idade (medindo até cerca de 5 mm de comprimento), pois nessa idade o pH intestinal do inseto é básico, situação que favorece a ação das proteínas “Bt”; o produto deve ser aplicado, quando possível, após as 16 horas, por causa da menor incidência dos raios ultravioletas, que são os principais agentes que desativam a eficiência desse bioinseticida no campo e aumentam sua evaporação.

falsamedideira.png
Figura 2 (A e B) - Lagarta falsa-medideira (Chrysodeixis includens)
Fonte: Agrolink, 2021; Agron, 2021

 

Outro aspecto a observar é que a lagarta-do-cartucho possui hábito noturno e inicia seu ataque no começo da noite. Se a pulverização for feita à tarde possibilitará mais eficácia no controle.

Mas, mesmo sendo um produto de classe toxicológica 5 (produto improvável de causar dano agudo) e Classificação ambiental IV (produto pouco perigoso ao meio ambiente), o agricultor deve ter os mesmos cuidados em relação ao uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI), prazos de carência e demais cuidados, de acordo com instruções de uso e demais informações presentes na bula do produto.

 A escolha dos equipamentos a serem utilizados para aplicação deste produto poderá sofrer alterações a depender de cada cultivo. Recomenda-se consultar um engenheiro agrônomo para orientação sobre as recomendações locais!