conteúdo

A proatividade dos Distritos da 5ª Superintedência Regional

por Valeria Rosa Lopes publicado 27/08/2019 19h12, última modificação 04/11/2019 17h05

Deve-se reconhecer que a proatividade faz toda diferença na gestão de distritos de irrigação e seus resultados, como se pode constatar nos distritos da 5ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Alagoas.

Há três anos, no Projeto Público de Irrigação Itiúba, surgiu a necessidade de implantação de uma balança rodoviária em Porto Real do Colégio (AL), e com o objetivo de atender os agricultores, o Distrito de Irrigação do Perímetro Itiúba (DIPI) promoveu uma campanha entre esses para que cada um pudesse contribuir financeiramente na aquisição do equipamento.

De acordo como o gerente executivo do DIPI, Amilton Rodrigues, percorreram-se os lotes explicando a necessidade da balança e arrecadando contribuições que funcionariam como um adiantamento da taxa pelo uso da água. No entanto, a campanha foi abraçada de tal forma que os agricultores resolveram doar o valor. Também tiveram aqueles que doaram animais para leilão e autoridades que contribuíram financeiramente com o projeto.

Com essa iniciativa houve redução dos custos e uma maior segurança ao trabalho dos agricultores de Itiúba. Conforme o mesmo gerente, a balança já está se pagando, pois, a partir da primeira safra, já estavam retirando um valor entre R$ 15 mil a R$ 16 mil, uma vez que o comprador do arroz paga pela pesagem do produto. Além disso, os agricultores tinham o custo de ensacar o arroz para pesagem em outros locais, com o img-20190221-wa0005.jpgpagamento também de mão de obra para esse trabalho. Hoje esse custo acabou, pois, a pesagem é feita em caminhão graneleiro no próprio distrito. Sem contar que ainda há benefícios para o distrito e para os agricultores com a chegada do equipamento. O agricultor que antes tinha que pesar em pequenas balanças que somente comportam quatro sacos de uma vez, agora pesa em uma única vez. Se ele pesava 400 sacos de arroz, tinha que fazer 100 pesagens. Logo, há garantia na qualidade da pesagem, e o que o distrito já arrecadou nesses três anos de funcionamento da balança está próximo de pagar o investimento.

Já no Distrito de Irrigação do Perímetro do Boacica (DIB), organização que representa os agricultores desse projeto, em uma parceria com a 5ª Superintendência Regional da Codevasf, estão sendo retirados cerca de 48.786 m3 de plantas aquáticas dos rios Boacica e Taquara, que cortam o Projeto Público de Irrigação Boacica, mantido pela empresa pública em Igreja Nova (AL). O objetivo é remover o excesso de vegetação dos dois rios, que funcionam como dreno principal, para dar maior eficiência à infraestrutura do projeto de irrigação. Para isso, a Codevasf está investindo recursos de R$ 517 mil.antes-e-depois_trecho24.jpg

A retirada da vegetação aquática já é realizada periodicamente pelo Distrito de Irrigação do Boacica (DIB), segundo afirma o gerente regional de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf em Alagoas, engenheiro agrônomo Antônio Canário. No entanto, o equipamento utilizado no serviço não consegue atingir todo o espelho d’água dos rios. Entre os resultados destacados por Antônio Canário, com a realização do serviço, está a melhoria na eficiência da drenagem, o que minimiza os riscos de prejuízo à safra.

Os resultados dessa parceria já são comemorados pelos agricultores de Boacica, pois de acordo com o agricultor Manoel Roque, coordenador do Conselho de Administração do DIB, a ação traz um benefício enorme para todos os agricultores, pois melhora a drenagem dos lotes, e em caso de enxurrada, a limpeza da vegetação evita a inundação do projeto.antes-e-depois_trecho22.jpg

Conforme o agricultor, outro ponto que se mostra relevante, além do mencionado, é o saldo positivo do relacionamento entre a Codevasf e os agricultores do projeto, uma vez que há o reconhecimento dos resultados dessa parceria, com a participação assídua da Empresa nas reuniões dos agricultores, as demandas são levadas à Codevasf e atendidas na medida do possível.

E, ao encerrar a série de matérias sobre as possibilidades que se vislumbram na gestão de distritos de irrigação da Codevasf, esses dois exemplos reforçam que uma gestão proativa e eficiente desse negócio faz toda a diferença nos resultados esperados.