Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Projeto da Codevasf estima produção de cebola em 15 mil toneladas e é destaque em evento internacional
conteúdo

Notícias

Projeto da Codevasf estima produção de cebola em 15 mil toneladas e é destaque em evento internacional

O projeto público de irrigação Salitre, no Norte baiano, é o destaque da participação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no 29º Seminário Nacional da Cebola e 20º Seminário de Cebola do Mercosul, evento internacional que vai até esta sexta-feira (28) no auditório da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Juazeiro.
publicado: 28/04/2017 11h53, última modificação: 20/06/2018 17h36

O projeto público de irrigação Salitre, no Norte baiano, é o destaque da participação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no 29º Seminário Nacional da Cebola e 20º Seminário de Cebola do Mercosul, evento internacional que vai até esta sexta-feira (28) no auditório da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Juazeiro.

Implantado e gerido pela Codevasf, o Salitre tem área plantada de cebola estimada em mais de 550 hectares e uma produção calculada pelos técnicos, para 2017, em torno de 15 mil toneladas. A expectativa de valor bruto de produção para este ano é de R$ 50 milhões.

O projeto - considerado um dos mais modernos do país -, foi escolhido para a visita de campo dos especialistas argentinos, uruguaios e de nove estados brasileiros participantes dos eventos, que debatem a prática sustentável na produção da cebola, economia e melhoramento genético.

A programação inclui palestras e painéis sobre a produção de cebola no país e no Mercosul. Considerado um dos eventos mais relevantes do agronegócio regional e também nacional, os seminários contam com a presença de cerca de 200 participantes entre especialistas, estudantes, representantes de associações de produtores, empresários e comerciantes.

Produção, comercialização interna e externa e sustentabilidade econômica e produtiva no Mercosul estão na agenda dos seminários, que são uma realização da Associação dos Produtores de Cebola do Médio São Francisco (Aprocesf), Associação Nacional dos Produtores de Cebola (Anace) e Embrapa.

Sobre a cebola

Cebola 2Segundo dados da Embrapa, o Brasil é hoje o nono maior produtor de cebola do mundo. A liderança é da China, responsável por 32,7% da produção mundial. A cebolicultura brasileira é praticada principalmente por pequenos agricultores, sendo um produto de grande potencial econômico.

A cebola foi introduzida no Nordeste no final da década de 40, sendo o Vale do São Francisco região com maior número de produtores. Ela é cultivada durante o ano todo, mas é no período de janeiro a março que há a maior concentração de plantio.

O cultivo gera cerca de 70 mil empregos diretos e indiretos na região, atinge aproximadamente de 172,1 mil toneladas por ano e movimenta a economia do Vale do São Francisco em mais de R$ 500 milhões anuais.

O estado da Bahia é a quinto maior produtor nacional de cebola, com destaque para os municípios de Sento Sé, Juazeiro e Casa Nova, que juntos produzem em média mais de 60 mil toneladas por ano.

Produção familiar

Em Juazeiro, a Codevasf, por meio da 6ª superintendência regional, tem estruturado os produtores rurais familiares que cultivam cebola com kits de implementos agrícolas que facilitam a preparação do solo, o plantio, a colheita e também o transporte da produção.

Os kits são compostos de trator, carreta agrícola com capacidade de seis toneladas de carga, grade aradora e niveladora, sulcador leve e roçadeira hidráulica. Os recursos que viabilizam a ação são do Orçamento Geral da União, repassados à Codevasf por emendas parlamentares.

Somente em 2017 foram mais de 20 kits de implementos agrícolas repassados por meio da 6ª Superintendência Regional da Codevasf, além de duas retroescavadeiras. Até o final do ano, mais 80 kits agrícolas deverão equipar agricultores familiares da região que convivem com os efeitos da estiagem prolongada.

“Esta ação tem o objetivo de estruturar a produção familiar na região, através da estruturação dos produtores, para que eles possam ser mais eficientes e terem melhora nas condições de vida”, afirma o superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Misael Neto.

“Quando vemos os resultados desta iniciativa, como os que estão sendo expostos neste encontro sobre cebola, confirmamos a importância de nosso trabalho”, destacou.

Segurança hídrica

Evento cebolaO analista em desenvolvimento regional da Codevasf, Joselito Menezes de Souza, que atua na superintendência de Juazeiro, foi convidado para falar no 29º Seminário Nacional da Cebola e 20º Seminário de Cebola do Mercosul sobre um trabalho que está desenvolvendo junto à Univasf na área de abastecimento humano em áreas rurais difusas.

Ele está realizando estudos, experimentos e ações em campo visando à utilização de um coagulante à base de um polímero natural para tratamento preliminar da água, a fim de torná-la potável.

O trabalho de Menezes integra o curso de mestrado na Univasf, e já foi apresentado em outras instituições como a própria Codevasf em Brasília e universidades e escolas da região.

Veja fotografias: https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157683035815436/with/14259860546/

Ouça as notícias da Codevasf: https://soundcloud.com/codevasf