Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Codevasf dá continuidade a ação que garante água para comunidades do semiárido pernambucano
conteúdo

Notícias

Codevasf dá continuidade a ação que garante água para comunidades do semiárido pernambucano

Cerca de 1,2 mil pessoas que convivem, no semiárido pernambucano, com os efeitos das estiagens prolongadas, terão seu acesso a água assegurado este ano. Investimento de R$ 4,5 milhões está sendo destinado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) à perfuração e instalação de 98 poços artesianos mais a montagem de equipamentos hídricos – que incluem, entre outros itens, catavento, motobomba, caixas de água e bebedouro para animais.
publicado: 22/02/2017 09h34, última modificação: 20/06/2018 17h35

Para este ano já estão assegurados R$ 4,5 milhões a serem investidos em poços artesianos que garantem sobrevivência dos animais em meio à seca

Cerca de 1,2 mil pessoas que convivem, no semiárido pernambucano, com os efeitos das estiagens prolongadas, terão seu acesso a água assegurado este ano. Investimento de R$ 4,5 milhões está sendo destinado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) à perfuração e instalação de 98 poços artesianos mais a montagem de equipamentos hídricos – que incluem, entre outros itens, catavento, motobomba, caixas de água e bebedouro para animais.

A ação tem parceria com a prefeitura de Petrolina, que vai cadastrar, validar e auxiliar no acompanhamento da execução das obras. Os recursos federais integram o programa Água para Todos e vão beneficiar, entre outras, as comunidades de Cristália, Simpatia, Rajada, Pau-Ferro, Uruás, Cruz de Salinas, Caititu, Baixa Alegre, Aranzel, Almas, Ponta da Serra, Atalho e Primazia.

“Com isso, a Codevasf dá seguimento a uma ação voltada para regiões de seca que, em 2016, melhorou as condições de vida de quase 3 mil famílias rurais moradoras do sertão e agreste pernambucano”, destaca o superintendente regional da Codevasf em Pernambuco, Aurivalter Cordeiro.

Foram perfurados e instalados no ano passado 280 poços em comunidades de 30 municípios de Pernambuco inseridos na atuação da 3ª Superintendência Regional da Codevasf - um investimento de mais de R$ 9 milhões.

Os recursos aplicados foram oriundos do Orçamento Geral da União, destinados à Codevasf por emendas parlamentares, e também do Ministério da Integração Nacional por meio do programa Água para Todos. Cada poço possui um reservatório individual com capacidade para 10 mil litros, e cada reservatório é dotado de três torneiras e um bebedouro para animais.

Dessedentação animal

José Antônio Barboza, 49 anos, é morador do sítio Icó de Né Gomes, zona rural de Petrolina, onde produz e vive com uma família grande: esposa, cinco filhos e quatro netos. Um poço perfurado e instalado pela Codevasf está garantindo a dessedentação dos pequenos animais criados por dez famílias da comunidade que antes, assim como seu José, eram obrigadas a comprar água em carros pipa a cada duas semanas para assegurar a sobrevivência das criações.

“Se não fosse o poço, eu tenho certeza que esses bichos daqui da região já teriam morrido. A seca tá muito grande, faz tempo que não chove, mas o poço garante água pra nós”, atesta o produtor familiar.

As comunidades já beneficiadas pela Codevasf em Pernambuco com a perfuração e instalação de poços estão localizadas nos municípios de Afogados da Ingazeira, Afrânio, Águas Belas, Araripina, Arcoverde, Belém do São Francisco, Bodocó, Buíque, Carnaíba, Carnaubeira da Pena, Custódia, Floresta, Iati, Ibimirim, Inajá, Ipubi, Itacuruba, Jatobá, Manari, Orocó, Parnamirim, Pesqueiro, Petrolândia, Petrolina, Santa Cruz da Baixa Verde, São José do Egito, Serra Talhada, Tacaratu, Trindade e Tuparetama.

Sedimentares e cristalinos
PoçoOs poços perfurados e instalados pela Codevasf no semiárido são uma tecnologia de convivência com a seca que se divide em dois tipos: poços sedimentares e cristalinos.

Os sedimentares são perfurados nos locais que possuem manchas de sedimentos (arenito, calcário), escavados a profundidades que podem variar de 100 a 200 metros, e fornecem grandes volumes de água oriunda do lençol freático. A captação da água é feita por meio de motobombas de alta potência.

O poço tubular em áreas cristalinas é perfurado e instalado em regiões de subsolo rochoso, entre 50 a 80 metros de profundidade, e a água é captada das fendas nas rochas, onde se acumula água. O volume é menor, e a captação é feita por catavento ou por bomba submersa.

A perfuração e instalação de poços oferecem alívio para a população que vive e produz em áreas onde a ausência de água encanada é agravada pela seca prolongada.

Fotografia: https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157650414704591/with/32288478161/

Ouça notícias da Codevasf:
https://soundcloud.com/codevasf