Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2017 > Acordos firmados pela Codevasf buscam proteger nascentes e monitorar grandes reservatórios no Piauí
conteúdo

Notícias

Acordos firmados pela Codevasf buscam proteger nascentes e monitorar grandes reservatórios no Piauí

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI) firmaram dois acordos de cooperação técnica que têm por objetivo recuperar nascentes no município de Pedro II (PI) e monitorar grandes reservatórios da bacia do rio Parnaíba – o acordo que prevê monitoramento de reservatórios foi firmado entre as duas instituições e a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (Semar/PI).
publicado: 15/01/2018 11h59, última modificação: 20/06/2018 17h39

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI) firmaram dois acordos de cooperação técnica que têm por objetivo recuperar nascentes no município de Pedro II (PI) e monitorar grandes reservatórios da bacia do rio Parnaíba – o acordo que prevê monitoramento de reservatórios foi firmado entre as duas instituições e a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (Semar/PI).

“O apoio de instituições como o IFPI e a Semar é fundamental para o desenvolvimento de ações de recuperação do meio ambiente e proteção dos recursos hídricos no Piauí, assim como para a promoção de acesso a água e desenvolvimento sustentável”, afirma Avelino Neiva, presidente da Codevasf. “Essas parcerias vão assegurar que as ações tenham precisão e rigor técnicos, com contínuo suporte especializado. O foco é preservar o meio ambiente e fontes de acesso a água, e com isso promover desenvolvimento, saúde e bem estar às pessoas”, destaca.

O primeiro acordo busca recuperar nascentes e promover o uso sustentável da água em Pedro II. Por intermédio da cooperação serão oferecidos meios de recuperação da vegetação de áreas de preservação permanente, em observância a exigências da Lei nº 12.651/2012 – que dispõe sobre a proteção de vegetação nativa. O acordo também vai possibilitar o aperfeiçoamento de sistemas simplificados de captação de água, de modo a que nascentes sejam protegidas.

Caberá ao IFPI apoiar a Codevasf na seleção das nascentes em que as intervenções técnicas serão realizadas e prover recursos humanos e materiais para o desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão. Compete à Codevasf contratar serviços, fiscalizar, realizar medições e efetuar os pagamentos relacionados à execução dos trabalhos. Atualmente encontra-se em andamento em Pedro II – no âmbito de parceria entre a Codevasf e o IFPI – um contrato de serviços de recuperação de nascentes e promoção de uso sustentável da água nas comunidades Buritizinho e Gado Bravo.

O segundo acordo – firmado entre Codevasf, IFPI e Semar/PI – visa a que o Instituto ofereça apoio técnico à implantação de uma rede de monitoramento qualitativo e quantitativo da água em grandes reservatórios da bacia do Parnaíba. O IFPI deverá envolver nos trabalhos equipe técnica composta por professores, servidores e alunos do Instituto, além de ceder laboratórios de saneamento, solo e química aplicada para a realização de ensaios de qualidade da água, necessários às pesquisas e ao monitoramento.

“É um marco importante que une instituições tecnicamente capacitadas e com um amplo rol de ações de sucesso no que se refere ao cuidado e preservação de nascentes e ao controle e acompanhamento da qualidade da água”, avalia Inaldo Guerra, diretor da Área de Revitalização da Codevasf. “Esses acordos possibilitam o trabalho de equipe e cria a sinergia entre ações, que até então estavam sendo realizadas separadamente. Promovem também o intercâmbio de conhecimento e práticas, que gerará resultados ainda mais eficazes e resultará em um mapeamento conjunto”, acrescenta.

Os acordos foram assinados em dezembro pelo presidente da Codevasf, Avelino Neiva, e pelo diretor Inaldo Guerra. Os prazos de vigência dos acordos são de 180 dias para o de recuperação de nascentes em Pedro II e de 36 meses para o de monitoramento de grandes reservatórios.

Fotografias:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157692259548825