Você está aqui: Página Inicial > Linhas de Negócio > Revitalização > Conteúdo Plano Digital > Projetos e Ações > Saneamento Ambiental e Convivência com o Semi-Árido
conteúdo

Saneamento Ambiental e Convivência com o Semi-Árido

por Danilo publicado 07/11/2017 11h29, última modificação 07/11/2017 11h29

Outras ações de saneamento ambiental, relacionadas ao abastecimento de água, ao tratamento e destinação de resíduos sólidos (lixo) e à macrodrenagem urbana, estão sendo viabilizadas em toda a região.

A convivência com a seca é também meta da revitalização. Por isso vem sendo reservada atenção especial do Ministério da Integração Nacional para a ampliação da capacidade de acúmulo de água visando suporte das atividades humanas no Semi-árido, adotando-se inclusive tecnologias alternativas e soluções simplificadas.

A implantação de projetos de dessalinização de águas, que conduzirão à otimização de poços subterrâneos e ao fomento de sistemas produtivos locais baseados no aproveitamento dos rejeitos da dessalinização, é uma das ações destinadas à convivência com o Semi-árido, que prevêem recursos da ordem de R$ 1,5 milhão.

Com um devido destaque, cabe mencionar o financiamento de 5 mil cisternas para o abastecimento de água difuso na região do Semi-árido, em convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social, com recursos que totalizam R$ 7,7 milhões.

Obras menores de recuperação ou manutenção de pequenos barreiros ou aguadas, destinados ao armazenamento de águas pluviais para abastecimento humano e dessedentação animal em períodos de estiagem, têm sido realizadas em vários municípios pernambucanos, totalizando mais de R$ 500 mil investidos. Na Bahia, o município de Ibotirama foi contemplado com recursos para a recuperação da barragem Poço do Peixe.

A implantação da adutora Salitrinho, para fornecimento de água aos pequenos agricultores da calha do rio Salitre, é uma ação que está em andamento, já tendo sido investidos R$ 3,3 milhões. Adutoras de abastecimento de água também estão em vias de construção para o Assentamento de Reforma Agrária de Sítio do Mato, na Bahia, e para a comunidade Chapada do Peba, em Santa Maria da Boa Vista, Pernambuco, ao custo total de R$ 800 mil. O município de Igreja Nova, em Alagoas, receberá o seu projeto executivo de abastecimento de água, que custará R$ 118 mil.

Obras de limpeza, abertura, desassoreamento e proteção de canais de drenagem vêm acontecendo em Brejo Grande, Ilha das Flores e Neópolis/Própria (Sergipe), bem como em Penedo, Ouro Branco, Olho d´Água das Flores, Igreja Nova e Senador Rui Palmeira (Alagoas), além do rio Gorutuba em Nova Porteirinha (Minas Gerais). Essas obras de macrodrenagem totalizam investimentos da ordem de R$ 4,2 milhões.

No que diz respeito aos resíduos sólidos, pelo menos R$ 6 milhões do orçamento do Ministério da Integração Nacional/Codevasf estão comprometidos com o Edital 7/2005 do Fundo Nacional de Meio Ambiente, o qual pretende financiar a elaboração de Planos de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e a execução de programas de revitalização de aterros sanitários existentes na bacia do São Francisco.