Você está aqui: Página Inicial > Linhas de Negócio > Desenvolvimento Territorial > Recursos Pesqueiros e Aquicultura > Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba - AL
conteúdo

Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba - AL

por Fernando Néto publicado 07/11/2017 12h00, última modificação 13/07/2020 16h53

Localizado no Projeto Público de Irrigação de Itiúba, no município de Porto Real do Colégio (AL), o Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba tem área de atuação nos municípios do Baixo São Francisco e em outras bacias no estado de Alagoas. A unidade está vinculada à 5ª Superintendência Regional da Codevasf, com sede em Penedo (AL).

Com início de operação em 1981 como Estação de Piscicultura de Itiúba, as instalações foram ampliadas e reinauguradas em 16 de março de 2010 como Centro de Referência em Recursos Pesqueiros e Aquicultura do São Francisco (Ceraqua-SF).

A unidade conta com laboratórios de limnologia e análise de água, nutrição e bromatologia, patologia e genética; galpão de reprodução artificial de peixes; fábrica de rações para aquicultura; laboratório para produção de juvenis de surubim; galpão com tanques de fluxo d’água contínuo (raceways) para pesquisas e condicionamento alimentar de espécies de peixes carnívoras nativas; alojamentos para pesquisadores convidados e estagiários; auditório/sala para capacitação/treinamento de técnicos e produtores; oficina e depósito de materiais e equipamentos; 61 viveiros destinados à produção de alevinos, estoque de reprodutores e matrizes e engorda experimental, totalizado 20,4 hectares de lâmina d’água.

O Ceraqua-SF tem como principais objetivos:

    • Desenvolver tecnologias de reprodução artificial, larvicultura e alevinagem de espécies de peixes nativas da bacia do rio São Francisco;
    • Incrementar ações de repovoamento de rios, açudes e grandes reservatórios para recomposição dos estoques pesqueiros e suporte à pesca artesanal;
    • Desenvolver e transferir tecnologias de aquicultura adaptadas à região;
    • Capacitar técnicos e produtores em aquicultura;
    • Desenvolver estudos físicos, químicos e biológicos, para o monitoramento limnológico do rio São Francisco;
    • Divulgar as potencialidades aquícolas da região para atrair investidores para a cadeia produtiva da aquicultura;
    • Apoiar a organização e estruturação de associações/cooperativas de pescadores artesanais e de aquicultores.