Você está aqui: Página Inicial > Linhas de Negócio > Desenvolvimento Territorial > Recursos Pesqueiros e Aquicultura
conteúdo

Recursos Pesqueiros e Aquicultura

por Fernando Néto publicado 07/11/2017 12h00, última modificação 13/07/2020 16h45

Os grandes complexos de barragens/reservatórios construídos ao longo do rio São Francisco, como o de Três Marias, em Minas Gerais, e o de Sobradinho, na Bahia, executam, entre seus usos múltiplos, geração de energia elétrica e regularização da vazão do rio. Contudo, os sucessivos barramentos são obstáculos à migração reprodutiva dos peixes e restringem acentuadamente as cheias à jusante de cada reservatório, reduzindo assim as oportunidades de transbordamento do rio, responsável pelo enchimento das lagoas marginais que funcionam como berçários e principais redutos de recrutamento de espécies da ictiofauna. Como consequência, a pesca profissional vem sendo drasticamente afetada pelas baixas reposições naturais dos estoques pesqueiros.

Com vistas a mitigar os impactos ambientais decorrentes da construção desses barramentos, como parte das ações de Revitalização do rio São Francisco, e em cumprimento à legislação, a Codevasf implementou o Programa de Aquicultura e Recursos Pesqueiros, tendo para isto instalado e operacionalizado estações de piscicultura ao longo do vale do São Francisco.

Recentemente, as seis estações de piscicultura da Companhia foram modernizadas e transformadas em Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura, com atribuições significativamente ampliadas.

Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura da Codevasf.jpg

Produção de alevinos e capacitação

A unidades de recursos pesqueiros e aquicultura da empresa produzem anualmente milhões de alevinos de espécies de peixes nativas de importância econômica e ecológica para soltura (peixamentos), visando a recomposição da ictiofauna, e para promover o desenvolvimento da aquicultura em sua área de atuação, gerando postos de trabalho e incrementando a renda dos produtores na região.

No período de 2007 a 2019, a Codevasf produziu mais de 165 milhões de alevinos, realizou mais de 850 peixamentos em pontos estratégicos da bacia e instalou dezenas de projetos piloto de criação de peixes em tanques-rede e em viveiros escavados para capacitação de produtores.

Nos centros integrados foram desenvolvidas tecnologias de reprodução artificial de dezenas de espécies de peixes nativas do rio São Francisco. Além do aumento expressivo na produção de alevinos com o uso dessas tecnologias, conseguiu-se reproduzir, de forma inédita, espécies de grande valor comercial, a exemplo do surubim (Pseudoplatystoma corruscans), e espécies ameaçadas de extinção, como o pirá (Conorhynchos conirostris), endêmica e considerado peixe símbolo do rio São Francisco.

A Codevasf também promove a realização periódica de cursos e treinamentos para produtores, pescadores artesanais e técnicos de instituições públicas e privadas e publica livros e trabalhos técnico-científicos desenvolvidos em suas unidades, disseminando tecnologias de reprodução artificial de peixes, ictiologia, biologia pesqueira, limnologia, estudos sobre lagoas marginais, aquicultura.

Por meio dos Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura, a Companhia tem exercido papel fundamental no desenvolvimento da aquicultura nacional, como pode ser observado no reservatório de Três Marias, onde a empresa implantou um projeto piloto de capacitação de produtores na criação de peixes em tanques-rede, promoveu cursos, prestou assistência técnica e construiu uma Unidade de Beneficiamento de Pescado dotada de infraestrutura em condições de atender aos requisitos de boas práticas e as exigências de órgãos federais e estaduais responsáveis pela inspeção sanitária. Como resultado dessas ações e de acordo com o mais recente ranking realizado pelo IBGE em 2017, o município de Morada Nova de Minas aparece em quarto lugar entre os maiores produtores de tilápia pela aquicultura do país.

Conheça: