Document Actions
Salitre - Etapa I (BA)
Localização: Município de Juazeiro - BA – Submédio São Francisco
Área Irrigável: 5.099 ha
Área Ocupada: 5.099 ha (1.684 ha – lotes familiares; 2.772 ha – lotes empresariais; 643 ha – outros)
Fonte hídrica: Rio São Francisco
Vazão outorgada vigente: 79.606.800 m3. ano-1
Investimentos até 2015: R$ 728.495.527,31
Dados da infraestrutura: 41,57 km de canais; 159,5 km de drenos; 116,3 km de estradas; 6,38 km de adutoras;  6 estações de bombeamento (EB); e 8 reservatórios
Início de funcionamento: 1998

O projeto de irrigação Salitre foi concebido em estudo de viabilidade para abranger 23.840 ha, sendo 5.585 ha na Área Chesf, 15.695 ha na Área Salitre e 2.560 ha na Área FAO. No Projeto Básico foi incorporada uma área de 5.370 ha, o que elevou a área para 29.210 ha. O Projeto Básico do projeto, realizado em 1998, define a captação de água no rio São Francisco por meio de uma estação de bombeamento, a qual lança a água para uma rede de adução formada por canais, inclusive trechos em tubulação e em aqueduto. Ao longo dessa rede estão previstos nove estações de bombeamento e nove reservatórios.
Para efeito de construção, o projeto foi dividido em cinco etapas, sendo que a primeira etapa, já construída, é constituída de 255 lotes agrícolas destinados a pequenos produtores, que perfazem um total de 1.684 ha irrigáveis e 133 hectares não irrigáveis e também 67  lotes agrícolas destinados a empresas, que perfazem um total de 3.629 hectares, sendo 2.772 ha irrigáveis e 857 hectares não irrigáveis.


PRODUÇÃO AGRÍCOLA

Salitre_evolução 2017
Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção do projeto Tourão, entre os anos 2014 e 2017.

Salitre_culturas 2017
 Figura 2: Principais espécies cultivadas no projeto, de acordo com o VBP, no ano de 2017.

Características

O projeto Salitre é o mais jovem de todos os projetos da Codevasf, a produção teve início em 2010 e desde então tem evoluído gradativamente. Como pode ser observado na Figura 1, a área com as culturas temporárias, que são cultivadas como forma de garantir renda nos primeiros anos, tem se mantido constante enquanto a área com culturas perenes tem aumentado. Em 2017 as culturas da cebola, banana, cana-de-açúcar, goiaba, manga e melão foram responsáveis por 93% do VBP do projeto.  Embora a cebola o melão ainda sejam amplamente cultivados, culturas como a banana, goiaba, uva, coco, manga e mamão tem aumentado suas áreas nos últimos anos, o que poderá alterar as características da produção nos próximos anos.
Atualmente, diferentemente dos anos anteriores, as culturas permanentes predominaram na composição do VBP, representando 64% do total. Os principais cultivos do projeto são a cebola, a banana e a cana-de-açúcar, representando 27%, 26% e 14% do VBP total, respectivamente (FIGURA 2). A área familiar é responsável por 83% do VBP total do projeto, ocupando uma área cultivada de 65% do total cultivado (FIGURA 2).

Os principais sistemas de irrigação utilizados são o gotejamento, superfície e microaspersão.


POTENCIALIDADES

Estima-se a geração de 3.829 empregos diretos e 5.743 empregos indiretos, com uma produção de 277.400 t. de alimentos em 2017.

atualizado em 02/05/2018 13:06