Document Actions
Jaíba - Etapa I (MG)

Localização: Município de Jaíba, Matias Cardoso e Verdelândia - MG – Médio São Francisco
Área Irrigável: 26.030 ha
Área Ocupada: 24.572 ha (9.277 ha – lotes familiares; 8.004 ha – lotes empresariais: 7.290 - outras)
Fonte hídrica: Rio São Francisco
Vazão outorgada vigente: 379.113.948 m3.ano-1
Investimento até 2016: R$ 1.229.848.950,19
Dados da infraestrutura: 548 km de canais; 385 km de adutoras; 533 km de estradas; 3 km de drenos; 11 estações de bombeamento
Início de funcionamento: 1975
Início da co-gestão: 1988

O surgimento do Projeto Jaíba remonta ao início da década de 50, quando foram realizados os primeiros esforços de ocupação e colonização, através do Instituto Nacional de Imigração e Colonização (INIC). Entretanto, somente na década de 60 as potencialidades agrícolas da região, denominada Mata da Jaíba, foram analisadas com alguma profundidade.
Nos estudos apresentados em 1965, reunidos sob o título de "Reconhecimento dos Recursos Hidráulicos e de Solos da Bacia do Rio São Francisco", o Bureau of Reclamation identificou uma área de cerca de 230.000 ha para aproveitamento agropecuário. O final da década de 80 é marcado pelo início de operação do Projeto, com o assentamento das primeiras famílias de irrigantes.
No final da década de 80 e início da década de 90 houve também a incorporação da iniciativa privada ao Projeto, através da criação do Distrito de Irrigação de Jaíba (DIJ), entidade privada, sem fins lucrativos, gerida pelos irrigantes e que tem por finalidade administrar toda infra-estrutura construída, bem como pelos municípios de Jaíba e Matias Cardoso, que se tornam responsáveis em atender aos reclamos da área social. A integração destas forças torna o Projeto Jaíba um empreendimento no qual atuam, de maneira sincronizada e complementar, os três poderes executivos da esfera pública, com a ativa participação da iniciativa privada.
O projeto irrigado de Jaíba foi idealizado para ser implantado em quatro etapas. A fonte hídrica deste projeto é o Rio São Francisco.


PRODUÇÃO AGRÍCOLA

 Jaíba_evolução
Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção do projeto Jaíba entre os anos 2014 e 2017.
 

Jaíba_culturas-.png
Figura 2: Principais espécies cultivadas no projeto, de acordo com o VBP, no ano de 2017.

Características

Mais da metade da área cultivada no projeto é destinada à fruticultura, com destaque para a produção de banana, manga e limão. Á área cultivada com essas três culturas em 2017, em termos percentuais, correspondeu a 52% da área total e 61% do VBP, como mostra a Figura 2.  As culturas permanentes ocuparam 69% da área total cultivada, sendo que os lotes familiares ocuparam, no ano de 2017, 55% da área sob cultivo no projeto.
Ao analisar a evolução do VBP, entre 2014 e 2016 houve um aumento bastante significativo, já em 2017, devido a queda nos preços das principais culturas, houve uma redução no VBP de 48% em relação ao ano anterior.
Em 2017 tiveram destaque o VBP das culturas permanentes (73%) e dos lotes empresariais (52%) (FIGURA 1).

Os principais sistemas de irrigação utilizados são a microaspersão e a aspersão.


POTENCIALIDADES

Estima-se a geração de 12.404 empregos diretos e 18.606 empregos indiretos, com uma produção de 286.110 t de alimentos em 2017.
atualizado em 18/04/2018 08:48