Document Actions
Itiúba
Localização: Porto Real do Colégio - AL – Baixo São Francisco.
Área Irrigável: 900 ha
Área Ocupada: 900 ha (888 ha – lotes familiares; 12 ha – Projeto Amanhã)
Fonte hídrica: Rio São Francisco
Vazão outorgada vigente: 27.288.221 m3.ano-1
Investimentos até 2015: R$ 25.312.053,82
Dados da infraestrutura: 75 km de canais; 71 km de drenos, 48 km de estradas; 16 km diques, 2 estações de bombeamento.
Início de funcionamento: 1978
Início da co-gestão: 1998

A construção do projeto de irrigação Itiúba ocorreu no período de 1974-76, e contou com recursos do BIRD, por meio dos Acordos de Empréstimo nº 1.153/BR e 1.729/BR, denominados respectivamente São Francisco I e II. Nesse último ano, iniciou-se a ocupação e operação do projeto com uma área de 894 ha, totalmente ocupado por 227 lotes de pequenos irrigantes, e uma área do Projeto Amanhã. Originalmente na área do projeto, a rizicultura já era praticada de acordo com as oscilações de nível do rio São Francisco. Com as obras de regularização e geração de energia da Usina de Sobradinho, o regime de níveis foi modificado, o que acarretou a inundação quase que permanente da totalidade da área cultivada. A Codevasf, ao implantar o projeto de proteção, drenagem e irrigação, eliminou os efeitos negativos daquelas obras e permitiu safras anuais de arroz irrigado por inundação. A fim de proteger a área contra as cheias dos rios São Francisco e Itiúba também foram construídos 16,4 km de diques e uma barragem na foz do rio Itiúba, dotada de comportas de escoamento. Atualmente Itiúba possui 900,33 ha irrigáveis ocupados.
O fato da construção da barragem de Sobradinho ter desativado os meios de sobrevivência da população ribeirinha do Baixo São Francisco, obrigando ao poder público buscar alternativas para mitigar os efeitos provocados, por si só, caracterizou estes projetos como de interesse social (Decreto nº 2.178/1997).


PRODUÇÃO AGRÍCOLA

 Itiuba_evolução
Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção do projeto de Itiúba entre os anos 2013 e 2016.
 

Itiuba_culturas
Figura 2: Principais espécies cultivadas no projeto, de acordo com o VBP, no ano de 2016.

Características

Há predominância da exploração da rizicultura que representa 97% do VBP, seguida da produção de cana-de-açúcar (3%), conforme Figura 2. Ocupada exclusivamente por lotes familiares, a área cultivada com essas culturas, em 2016, correspondeu a 94% e 6%, respectivamente. Com uma tendência de crescimento ao longo do período analisado, o VBP total em 2016 registrou um aumento de 18% em relação ao ano anterior, o maior resultado da série de dados (FIGURA 1).
O projeto ainda tem como uma de suas atividades a piscicultura, responsável por um VBP de R$ 720 mil, obtido com a produção de 90 ton. de tambaqui e tilápia (TABELA 1)

O sistema de irrigação é o de superfície, em 100% da área.

Tabela 1: Espécie, área ocupada, produção e VBP da piscicultura no ano de 2016.



POTENCIALIDADES

Estima-se a geração de 1.336 empregos diretos e 2.004 empregos indiretos, com uma produção de 14.140 t de alimentos em 2016.
 

atualizado em 20/11/2017 14:16