Document Actions
Cotiguiba/Pindoba
Localização: Municípios de Japoatã, Neópolis e Propriá - SE – Baixo São Francisco.
Área Irrigável: 2.232 ha
Área Ocupada: 2.232 ha (1.918 ha – lotes familiares, 296 ha – lotes empresariais; 18 ha – Projeto Amanhã)
Fonte hídrica: Rio São Francisco, Riacho Pilões e Ribeira
Vazão outorgada vigente: 66.702.024 m3.ano-1
Investimentos até 2015: R$ 64.464.393,13
Dados da infraestrutura: 96 km de rede de irrigação (57 km em canais e 39 km em tubulação); 63 km de drenos, 48 km de estradas; 13 km diques, 16 estações de bombeamento
Início de funcionamento: 1982
Início da co-gestão: 1998

Com a construção da barragem de Sobradinho, com vistas à regularização da vazão do rio São Francisco para garantir a geração de energia nas usinas hidrelétricas do sistema CHESF em 1973, ocorreu mudança no regime cíclico de enchentes e vazantes que propiciava a exploração agrícola de subsistência ao longo das suas margens. Dessa forma, visando mitigar os impactos negativos sobre o sistema de exploração agrícola afetado, foram equipados com infraestrutura de irrigação que permite o cultivo do arroz irrigado por submersão, com melhores padrões tecnológicos do que o sistema tradicional.
O fato da barragem de Sobradinho ter desativado os meios de sobrevivência da população ribeirinha do Baixo São Francisco, obrigando ao poder público buscar alternativas para mitigar os efeitos negativos provocados, por si só, caracterizou estes projetos como de interesse social (Decreto 2.178/1997).
Os produtores residem em povoados situados na periferia do Projeto.
O projeto foi concebido e implantado exclusivamente para assentamento de pequenos irrigantes (colonização). Em 1992, por força de distorções ocorridas na sua ocupação, a diretoria da CODEVASF aprovou a alteração do modelo original, permitindo o acesso de pequenos e médios empresários em até 20% da área. Este acesso vem sendo feito de forma progressiva, mediante disponibilidade de áreas em processo de regularização fundiária.

PRODUÇÃO AGRÍCOLA

 Cotinguiba/Pindoba_evolução
Figura 1: Evolução do Valor Bruto de Produção do projeto Cotinguiba/Pindoba entre os anos 2013 e 2016.
 

Cotinguiba/Pindoba_culturas
Figura 2: Principais espécies cultivadas no projeto, de acordo com o VBP, no ano de 2016.

Características

Há predominância do cultivo temporário, onde o arroz representa 78% da área cultivada e 52% do VBP, seguido pelo milho com 12% da área cultivada e 15% do VBP, em 2016. Das culturas permanentes o coco e a grama responderam respectivamente por 11% e 8% do VBP, conforme as Figura s 1 e 2.
Houve registro da produção em lotes empresariais no projeto em apenas 3% da área cultivada total, respondendo por 11% do VBP.

Os principais sistemas de irrigação são superfície e aspersão.

Tabela 1: Espécie, área ocupada, produção e VBP da piscicultura e da bovinocultura no ano de 2016.


 

POTENCIALIDADES

Estima-se a geração de 2.449 empregos diretos e 3.673 empregos indiretos, com a produção estimada de 15.686 t. de alimentos em 2016.

atualizado em 20/11/2017 14:14