Document Actions
Projetos de irrigação da Codevasf em Alagoas testam novas variedades de arroz

Projetos de irrigação da Codevasf em Alagoas testam novas variedades de arroz

Duas novas variedades de arroz estão sendo testadas no projeto público de irrigação Itiúba, mantido pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Porto Real do Colégio (AL). Um Dia de Campo realizado no projeto na quarta-feira (8) apresentou aos rizicultores os resultados do primeiro cultivo empreendido no Itiúba com os cultivares BRS Catiana e BRS A702 CL. A expectativa da Codevasf agora é de que os novos cultivares aumentem a produtividade dos cultivos e incrementem a renda dos agricultores.

Os dois cultivares testados foram desenvolvidos pela Embrapa e levados pelo analista em Transferência de Tecnologia da instituição Raimundo Rabelo para experimentos na região e posterior teste de utilização pelos rizicultores. Entre as características buscadas nos novos cultivares estão produtividade, qualidade de grãos e tolerância a doenças do arroz.

“Estamos trazendo mais dois cultivares de arroz irrigado. O interessante desses cultivares é que já foram testados na região, o que dá uma certa tranquilidade ao agricultor. Já podemos saber como eles se comportam, sua produtividade, doenças. Essa opção permite ao produtor não ficar preso somente a um cultivar, o que seria muito perigoso”, explica o analista da Embrapa.

Rebelo afirma que antes da disponibilização dos cultivares, os rizicultores passaram por todo o processo de melhoramento, que pode levar até 12 anos. “A parte final do melhoramento foi realizado aqui em Alagoas, quando verificamos o comportamento dos cultivares na região com testes e comparações”, conta.

Após a fase de experimentos, foi selecionado um lote no projeto de irrigação Itiúba para demonstração dos resultados. O lote escolhido foi o do agricultor Emerson Oliveira. "Observei que os dois tipos têm crescimento praticamente igual. O tipo A702 amadureceu primeiro por ser uma variedade mais precoce, enquanto o tipo Catiana tem mais grãos no cacho, o que faz com que a produtividade deste seja maior que o 702. Tenho a ideia de dividir minha área com as duas variedades, sendo a área maior para cultivo do Catiana", revela o rizicultor.

Atualmente o cultivar mais usado na rizicultura da região do Baixo São Francisco alagoano é o EPAGRI 121 CL. Emerson Oliveira acredita que as duas novas variedades serão bem-aceitas nos projetos públicos de irrigação da Codevasf em Alagoas. “Essas variedades possuem muita resistência a doenças e uma boa produtividade. Por isso, muitos produtores já vieram conhecer o cultivo e querem pegar sementes comigo”, afirma.

A produção somada dos projetos públicos de irrigação Boacica – mantido pela Codevasf em Igreja Nova – e Itiúba responde por 80% a 90% do arroz colhido em Alagoas, segundo estimativa da Gerência Regional de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf no estado.

ItiúbaCom o Dia de Campo, a Codevasf pretende que os novos cultivares sejam adotados pelos rizicultores dos projetos de irrigação. “Essas duas variedades possuem características bastante positivas, como a alta produtividade e a resistência a doenças e pragas, e oferecem mais opões aos produtores. As sementes já foram testadas na região e agora há uma demonstração desses resultados”, destaca o engenheiro agrônomo da Codevasf Pedro Melo.

O Dia de Campo foi organizado por instituições que atuam na cadeia produtiva do arroz em Alagoas, como Codevasf, Embrapa, Emater/AL, Sebrae/AL, APL Rizicultura de Alagoas e secretarias municipais de agricultura de Porto Real do Colégio e Igreja Nova (AL). “Hoje nós formamos um núcleo que vem trabalhando na melhoria da qualidade dos grãos, na apresentação do produto e na organização da comercialização. O que pretendemos é colocar o arroz produzido nos projetos de irrigação da Codevasf em Alagoas em condições de competir no mercado brasileiro”, afirma Pedro Melo.

O Dia de Campo contou com a participação de rizicultores familiares dos projetos públicos de irrigação Itiúba e Boacica, e de técnicos da Codevasf e das demais instituições que compõem a cadeia da rizicultura em Alagoas.

Fotografias:
https://www.flickr.com/photos/169320297@N06/albums/72157680338386308

atualizado em 10/05/2019 17:10