Document Actions
Tecnologias alternativas de tratamento de água desenvolvidas pela Codevasf despertam interesse de Moçambique

Tecnologias alternativas de tratamento de água desenvolvidas pela Codevasf despertam interesse de Moçambique

As tecnologias para captação e manejo de água da chuva e o tratamento de água superficiais com uso de coagulante à base de polímero natural, para consumo humano, desenvolvidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em parceria com outras instituições, foram apresentadas a um grupo de funcionários do governo de Moçambique que está em visita a Juazeiro, no norte da Bahia. Eles vieram conhecer ações de segurança hídrica desenvolvidas na região que podem ser úteis ao país africano.

A delegação moçambicana, formada por dez grupos, composto por técnicos e pesquisadores, distribuídos por todo o Brasil e coordenados pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia, está em missão de cooperação internacional com o governo brasileiro. O objetivo é conhecer as novas tecnologias de tratamento de água de baixo custo que estão sendo desenvolvidas na região semiárida brasileira. Na Superintendência Regional da Codevasf em Juazeiro, o grupo assistiu a uma palestra ministrada pelo Analista de Desenvolvimento Regional Joselito Menezes de Souza.

“O encontro foi muito interessante, considerando a similaridade entre a realidade da região norte baiana e Moçambique, como a presença de uma região semiárida e população rural difusa. Os técnicos de Moçambique viram essas técnicas como promissoras para comunidade rurais, e que trará benefícios àquela população”, afirma Menezes.

Para um dos técnicos do grupo, Leonel Armando Jaime Manhique, professor do Instituto Médio de Boane, essa é uma experiência que trará ganhos para Moçambique. “Em muitas regiões a água potável é insuficiente para atender a todos os moradores. Tendo essa oportunidade de ver como essa tecnologia pode reaproveitar esse recurso que está cada vez mais escasso, é um ganho para nós. Poderemos incentivar o nosso governo a adotar essa política, uma vez que Moçambiquegastamos muito dinheiro para adquirir água potável na nossa região”, conta.

Captação de água da chuva e tratamento de águas superficiais

O abastecimento ocorre durante os períodos chuvosos: a água da chuva é captada no telhado das edificações e conduzida, por meio de um sistema de calhas e tubos, para o interior de um reservatório. O sistema desenvolvido pela Codevasf possui diversos dispositivos de proteção sanitária, a exemplo de separadores, desvio da primeira água, filtros, redutores de turbulência e dosadores de cloro em pastilha, que possibilitam o tratamento da água de chuva conforme o disposto na Portaria nº 2.914 do Ministério da Saúde. Com isso, além da observância de cuidados básicos que são comunicados aos beneficiados por esse sistema em treinamentos específicos, a água se torna própria para ingestão e o preparo de alimentos.

Quanto ao tratamento de águas de superfície, recomenda-se o uso de coagulante alternativo à base de polímero natural tendo em vista a eficiência e a facilidade no manejo em condições adversas. Essa tecnologia, destinada ao tratamento de água em comunidades rurais difusas, já é usada por instituições de cooperação internacional em países da África e da Ásia.

O sistema simplificado de tratamento da água compreende três etapas, sendo a primeira a reserva do líquido em um local onde será adicionado e misturado o coagulante. A segunda inclui a filtração e a terceira é o armazenamento com adição de cloro. Segundo pesquisas  realizadas por universidades brasileiras, o coagulante alternativo retira sedimentos presentes na água, como argila e areia, reduzindo a cor e turbidez, além de remover contaminantes químicos.

Estudos desenvolvidos no Brasil mostraram que 50 a 100 gramas do coagulante são suficientes para o tratamento de mil litros de água com elevada turbidez com eficiência superior aos produtos convencionais.

Fotografias:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/albums/72157663433321288


atualizado em 08/12/2017 14:22