Document Actions
Ibama vistoria área do Canal Xingó para emitir a licença prévia do empreendimento

Ibama vistoria área do Canal Xingó para emitir a licença prévia do empreendimento

Uma comitiva de analistas do Ibama, acompanhada por analistas da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), realizou neste mês uma vistoria técnica para o licenciamento ambiental do Canal de uso múltiplo Xingó, localizado nos estados de Sergipe e da Bahia. O objetivo foi verificar na área de influência do empreendimento se a Codevasf atendeu às exigências do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio). Agora, o Ibama fará um relatório técnico para subsidiar a emissão da Licença Prévia, que aprova a localização e a concepção do Canal Xingó.

Em novembro de 2013, durante audiência pública realizada pelo Ibama em Paulo Afonso (BA), o ICMBio demandou a alteração do traçado do canal para eliminar a interferência do projeto no Monumento Natural do Rio São Francisco – unidade de conservação federal de proteção integral. O novo traçado minimizou diversos impactos ambientais anteriormente previstos no Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) elaborado pela Codevasf.

A vistoria teve início no município de Paulo Afonso (BA) e percorreu os municípios Canindé do São Francisco, Poço Redondo, Porto da Folha, Monte Alegre de Sergipe e Nossa Senhora da Glória, em Sergipe, e Santa Brígida e Paulo Afonso, na Bahia. A comitiva encerrou a visita no município Nossa Senhora da Glória (SE).

VistoriaIbamaOs analistas da estrutura de meio ambiente da sede da Codevasf, em Brasília, da 4ª Superintendência Regional da Companhia, sediada em Aracaju, e do Escritório de Apoio Técnico de Paulo Afonso acompanharam a vistoria do Ibama.

Abastecimento de água

O Canal Xingó faz parte de um conjunto de ações do governo federal, por meio do Ministério da Integração Nacional e da Codevasf, para garantir abastecimento de água a comunidades que vivem em regiões atingidas pela seca prolongada e assegurar condições de desenvolvimento econômico e social.

O empreendimento fornecerá água para usos múltiplos, incluindo consumo humano, agricultura irrigada, dessedentação animal e agroindústrias. A água percorrerá por gravidade um canal de aproximadamente 300 quilômetros de extensão, a partir do reservatório de Paulo Afonso, na Bahia, até Nossa Senhora da Glória, em Sergipe.

A primeira fase do projeto inclui 114,55 quilômetros entre a captação em Paulo Afonso, passando por Santa Brígida (BA) e Canindé do São Francisco (SE), até um antigo reservatório em Poço Redondo (SE). Os investimentos federais nesta etapa inicial superam R$ 870 milhões e compreendem a obra de captação seguida de um túnel, segmentos de canal, aquedutos, estruturas de controle, tomadas de água, sistemas de drenagem, viário e energético, entre outras obras.

Fotografias:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157692586915780

atualizado em 29/06/2018 16:21