Document Actions
Codevasf implanta barreiros em comunidades rurais no semiárido baiano

Codevasf implanta barreiros em comunidades rurais no semiárido baiano

A implantação de 80 barreiros em comunidades rurais no norte da Bahia vai permitir o acúmulo de água da chuva para uso na dessedentação animal e na pequena irrigação. A ação vai beneficiar famílias de pequenos produtores nos municípios de Juazeiro, Jaguarari e Campo Formoso. O investimento da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) é de R$ 4 milhões, com recursos federais do Programa Água para Todos.

Já foram concluídos barreiros em diversas comunidades, beneficiando mais de 195 famílias de produtores que sobrevivem da pequena agropecuária no interior de Juazeiro. As comunidades rurais atendidas foram Itamotinga, com três barreiros; Lagoa do Boi e Rancharia, com dois barreiros em cada; e Pinhões, Abóbora, Massaroca, Carnaíba do Sertão, Juremal e Poção, com um barreiro em cada.

No município de Jaguarari estão em construção dois barreiros na comunidade de Santa Rosa, um em Pilar e outro em Catuni. Eles devem atender cerca de 60 famílias de produtores rurais na época de estiagem, quando o acesso a água fica mais difícil.

Em Campo Formoso, 45 famílias das comunidades de Cambão, Baixa do Alecrim e Abreus serão beneficiadas quando os barreiros estiverem concluídos e as chuvas, previstas para o segundo semestre deste ano, começarem a cair.

“Devido aos baixos índices pluviométricos, essa região é muito vulnerável, principalmente, nos períodos de estiagem. A implantação de barreiros públicos pode ajudar no armazenamento de água por um período de seis a oito meses, e beneficiar os pequenos agropecuaristas nesse período difícil”, explica Márcia Araújo de Almeida, que atua na 6ª Superintendência Regional da Codevasf, em Juazeiro, e é responsável pela fiscalização do contrato para construção dos barreiros.

Segundo Márcia Almeida, o trabalho de implantação de barramento para acumulação de água da chuva, para uso na dessedentação animal e na pequena irrigação, inclui etapas com serviços de terraplenagem, construções de sangradouro, calhas, drenos e meio-fio em concreto. As paredes são construídas com terra compactada. Cada barreiro, geralmente, possui uma parede com aproximadamente 100 metros de comprimento e 4,5 metros de altura, com capacidade de acumular até 20 mil m³ de água. Os custos individuais de implantação chegam a R$ 50 mil.

BarreirosSatisfação para os produtores

Durante uma visita de inspeção às comunidades de Campão e Baixa do Alecrim, no município de Campo Formoso, o superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Elmo Nascimento, acompanhado de técnicos da Companhia, conversou com pequenos produtores sobre os benefícios da obra e ouviu deles a satisfação com a implantação dos barreiros.

“Com essa obra concluída nós vamos trabalhar com mais tranquilidade. Quando a chuva chegar em outubro, já vamos ter água para dar aos animais e plantar alguma coisinha para comer e também para silagem”, disse entusiasmado o produtor Júlio Mendonça de Jesus. Ele possui pequenos rebanhos de caprinos e ovinos e ainda mantém uma pequena horta para consumo próprio.

Para Elmo Nascimento, a implantação de barreiros “pode proporcionar aos produtores familiares a segurança hídrica que eles necessitam para terem uma qualidade de vida melhor”. “Esse trabalho que a Codevasf realiza é muito importante para as comunidades do semiárido que necessitam de apoio para desenvolverem atividades primárias, e nos deixa satisfeitos com os resultados que estamos obtendo. São obras que nos incentivam a buscar sempre mais benefícios para as comunidades rurais”, conclui.

Os barreiros são uma tecnologia apoiada pelo programa do governo federal Água para Todos, que visa disponibilizar o uso da água para o consumo próprio ou para a produção de alimentos e a criação de animais, ampliando a inclusão produtiva das populações beneficiadas.

As comunidades atendidas com os barramentos são selecionadas de acordo com o CadÚnico (Cadastro Único para programas Sociais) e, em cada comunidade rural, pelo menos cinco famílias de pequenos produtores locais devem ser cadastradas.

Fotografias:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157693024779362



 

atualizado em 27/04/2018 10:59