Document Actions
Centro de manejo promove práticas reprodutivas eficientes e melhoria genética em Pernambuco

Centro de manejo promove práticas reprodutivas eficientes e melhoria genética em Pernambuco

Unidade implantada pela Codevasf, em parceria com a UFRPE, fortalece a caprinovinocultura no semiárido do estado; investimento do governo federal foi de R$ 242 mil

A adoção de práticas reprodutivas eficientes e a melhoria genética nos rebanhos de caprinos e ovinos são algumas das atividades promovidas pelo Centro de Manejo Reprodutivo e Melhoramento Genético do município de Parnamirim, no Sertão Pernambucano. A unidade implantada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), visa fortalecer a organização, estruturação e profissionalização do arranjo produtivo local (APL) da caprinovinocultura no semiárido.

“Temos acompanhado de perto o cadastramento de produtores e a disponibilização dos animais. Mesmo antes da inauguração, os reprodutores já estão disponíveis aos criadores que procuram o centro, e as primeiras proles começaram a nascer. Até o fim deste ano estamos com a expectativa que nasçam 500 animais, entre cabritos e cordeiros, filhos dos reprodutores disponibilizados pela Codevasf”, afirma o zootecnista e analista em Desenvolvimento Regional da Companhia Wellington Lopes.

O centro foi construído pela Codevasf na Estação de Agricultura Irrigada, da Unidade Acadêmica de Serra Talhada da UFRPE, em Parnamirim – localizado a 185 quilômetros da sede da 3ª Superintendência Regional da Codevasf, em Petrolina. O investimento do governo federal de R$ 242 mil contemplou a edificação da estrutura de baias tipo aprisco e a aquisição de reprodutores das raças Boer e Anglo-nubiana (caprinos) e Dorper e Santa Inês (ovinos), registrados e puros de origem.

Segundo Lopes, o centro vai possibilitar significativas melhorias nos rebanhos do município. A implantação da unidade nas dependências da universidade é um diferencial para o sucesso da ação. “A UFRPE dispõe de recursos para centro de manejo PEmanutenção alimentar e sanitária dos reprodutores, equipe de tratadores para realização do manejo dos animais e recursos para arcar com as demais despesas dos animais. Sobretudo, conta com equipe de técnicos e docentes com alto grau de capacitação”, enumera.

O coordenador da Estação de Agricultura Irrigada da UFRPE, Eurico Lustosa, destaca que 60 produtores já estão sendo beneficiados com as atividades do centro. “A meta é atender uma média de oito propriedades por mês e, em breve, utilizar métodos de inseminação artificial, ampliando a oferta do material genético a todos os criadores da região”, aponta.

“Os trabalhos realizados nas propriedades vão desde a seleção e marcação das melhores matrizes para fins reprodutivos, os exames de ultrassom para constatação da prenhez e a pesagem dos nascidos e aos três meses de vida”, completa Lustosa.

Além da entrega da estrutura física do centro e dos reprodutores à Universidade Federal Rural de Pernambuco, a Codevasf está em fase de tramitação do processo para fornecimento de um kit completo para inseminação artificial, previsto no pacote tecnológico associado aos centros de manejo reprodutivo e melhoramento genético.

“A estruturação de atividades produtivas faz parte da missão da Codevasf. Como a criação de caprinos e ovinos é bastante viável para a região semiárida, a implantação de centros, como o de Parnamirim, tem um papel importante para fortalecer a atividade, já que os produtores familiares, por conta própria, teriam dificuldades para conseguir reprodutores melhorados devido ao custo de aquisição e manutenção desse tipo de unidade”, ressalta a presidente da caprinovinocultura PECompanhia, Kênia Marcelino.

Apoio aos produtores

Um grupo de ovinocultores da Associação Cabroboense de Criadores de Ovinos teve a oportunidade de conhecer as instalações e o trabalho que começa a ser desenvolvido no Centro de Manejo Reprodutivo e Melhoramento Genético de Parnamirim. Além de trocarem experiências e tirarem dúvidas, os criadores solicitaram apoio às atividades realizadas em Cabrobó (PE). Como resultado, a Codevasf e a Universidade Federal Rural de Pernambuco vão enviar técnicos para realizar visitas e sugerir intervenções no manejo adotado na associação.

Durante a construção do centro, os criadores da região de Parnamirim também participaram de treinamentos com técnicos da UFRPE e da Codevasf sobre a importância do melhoramento genético dos rebanhos. As capacitações foram realizadas por meio de cursos, minicursos, seminários, fóruns e ciclos de palestras.

Atividade expressiva

A caprinovinocultura é uma atividade expressiva no Sertão Pernambucano, e representa uma das principais práticas da pecuária local em Parnamirim. Segundo dados da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adrago), o município possui um rebanho com cerca de 200 mil cabeças, entre caprinovinocultura2 PEcaprinos e ovinos.

Entre os vários motivos existentes para a prática da atividade na região, como condições climáticas adequadas, retorno econômico e mercado favorável, Eurico Lustosa enfatiza que o fator estratégico e o cultural são fundamentais. “Quando falo em estratégico, refiro ao fato de a região possuir os maiores rebanhos do estado, e a cidade na qual está inserido o centro ter destaque no número de cabeças. Além do mais, a caprino e a ovinocultura são atividades significativas, que vêm mostrando índices crescentes favoráveis”, diz.

“O fator cultural se baseia por razões naturais da região, onde tais atividades sempre existiram e fizeram parte da rotina do pequeno produtor familiar. Ela é forte e enraizada, e está na cultura do povo”, finaliza o coordenador da Estação de Agricultura Irrigada da UFRPE.

Fotografias:

https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157684507425954

Ouça as notícias da Rádio Codevasf:

https://soundcloud.com/codevasf

atualizado em 07/08/2017 17:16