Document Actions
Ação da Codevasf vai fortalecer produção de apicultores no norte mineiro

Ação da Codevasf vai fortalecer produção de apicultores no norte mineiro

Com a aquisição de 380 colmeias e novos equipamentos apícolas, produtores da região de Bocaiuva devem obter uma média de nove toneladas de mel a mais por ano

A produção de mel no Norte de Minas continua recebendo incentivo por parte da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). Novos equipamentos apícolas devem fortalecer a atividade de 38 famílias de apicultores da Associação dos Apicultores de Bocaiuva (Apiboc), totalizando um investimento da ordem de R$ 107 mil, oriundos do antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário, atual Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário.

Ao todo, serão disponibilizados aos produtores 380 colmeias; 380 suportes; 38 fumigadores; 38 macacões apícolas; 38 pares de bota; 38 pares de luva e 380 kg de cera de abelha alveolada. A previsão é que o material seja entregue no próximo mês de setembro.

De acordo com Luciano Fernandes de Souza, tesoureiro da Apiboc e presidente da Cooperativa dos Apicultores e Agricultores Familiares do Norte de Minas (Coopemapi), as novas colmeias devem incrementar a produção em nove toneladas de mel/ano, representando um retorno financeiro estimado em R$ 90 mil para as famílias nesse mesmo período.

“Hoje, nossa associação conta com 45 apicultores ativos. Temos uma média de produção de 180 toneladas/ano. A assistência técnica na apicultura faz muita diferença, e os produtores que tiveram esse acompanhamento conseguiram aumentar a produtividade em suas colmeias” explica Souza.

Ainda segundo ele, o mel produzido pelos apicultores de Bocaiuva é vendido em tonéis de 300 kg por meio de exportadoras. Em julho, a entidade obteve o selo por meio do Serviço de Inspeção Federal (SIF) e, agora, pode haver comercialização do produto fracionado.

“Estamos vendendo nosso produto em feiras, supermercados, farmácias de Minas e São Paulo e fornecemos também para o Senai e a Conab. Montamos um catálogo e acreditamos que, até o final do ano, a média é vender cerca de 1.000 kg por mês de mel fracionado. Nossa expectativa é realmente ampliar os negócios”, aposta.

Para o superintendente regional da Codevasf em Minas Gerais, Rodrigo Rodrigues, os investimentos feitos pela Companhia na cadeia produtiva da apicultura têm sido de fundamental importância para organizar e atrair cada vez mais famílias para a atividade, evitando, assim, o êxodo rural.

“A apicultura vem mudando, nos últimos oito anos, o panorama de muitas comunidades rurais do semiárido mineiro. Só para se ter uma ideia da arrancada dessa cadeia produtiva, antes executada de forma artesanal, podemos citar que saímos de algumas dezenas de apicultores para mais de 1.500 produtores familiares que produzem mais de 1.000 toneladas de mel por ano e chegam a alcançar renda global de mais de R$ 15 milhões. A Codevasf contribuiu para o alcance desses números, com investimentos de aproximadamente R$ 6 milhões em equipamentos e construção de casas de mel”, destaca o superintendente.

“Essa ação vem sendo desenvolvida sob a coordenação de nossa gerência de arranjos produtivos locais, que visa promover e estimular o desenvolvimento de atividades que gerem renda, melhorando a qualidade de vida dos cidadãos e, ao mesmo tempo, contribuam para a preservação do meio ambiente. A apicultura tem se revelado uma excelente solução para unir esses dois propósitos”, afirma Inaldo Guerra, diretor da Área de Revitalização da Codevasf.

Fotografia: https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157644206727861/with/13974622805/

atualizado em 01/09/2017 09:48