Document Actions
Universitários realizam atividades no Ceraqua São Francisco em AL

Universitários realizam atividades no Ceraqua São Francisco em AL

O Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba (5ª CII/Ceraqua São Francisco) está se consolidando como centro formador de mão-de-obra especializada na área de aquicultura em Alagoas. Durante a última semana, o Centro, situado em Porto Real do Colégio (AL), recebeu visitas técnicas de estudantes universitários para atividades práticas. Outras ações de formação de mão-de-obra especializada acontecem no local, a exemplo de pesquisas de mestrado e doutorado e da oferta de estágio curricular e extracurricular.

Uma das visitas técnicas foi realizada por acadêmicos do curso de Engenharia de Pesca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), liderados pelo professor Petrônio Coelho Filho, para realização de atividades práticas na área de limnologia. O outro grupo foi formado por estudantes do curso de Zootecnia da Universidade do Estado de Alagoas (Uneal), Campus Santana do Ipanema, liderados pela professora Ida Tenório, que vieram conhecer as instalações do centro e ter aula pratica na área de piscicultura.

Segundo o professor Petrônio Coelho, responsável pelas atividades da disciplina Limnologia do cursos de Engenharia de Pesca da UFAL, o grupo de estudantes veio ao Ceraqua São Francisco para atividades práticas de análise da qualidade da água dos viveiros utilizados para produção de alevinos. Para isso, os futuros engenheiros de pesca fizeram coleta da água em diversos viveiros durante 24 horas seguidas. As amostras coletadas passaram por análises no Laboratório de Limnologia do centro tecnológico, no qual os estudantes tiveram oportunidade de operar equipamentos como a sonda multiparamétrica, que mede temperatura, oxigênio dissolvido e pH da água dos viveiros, e o fotômetro digital, que mede a existência de elementos como a amônia, o nitrito e nitrato das amostras.

O futuro engenheiro de pesca Vinícius Igoa estava bastante empolgado com as atividades práticas e com o contato com equipamento de alta tecnologia. “Essa parceria entre a Ufal e a Codevasf é de extrema relevância para a formação de profissionais altamente especializados. O aparato tecnológico que encontramos aqui e o alto nível dos técnicos facilitam a troca de conhecimento. Realmente estou surpreendido com a tecnologia em aquicultura que temos em Alagoas”, declarou.


PESQUISA NA PÓS-GRADUAÇÃO E ESTÁGIOS

A estrutura do Ceraqua São Francisco também tem despertado a atenção para atividades de pesquisa em programas de pós-graduação e como campo de estágio para formação de mão-de-obra especializada em aquicultura e recursos pesqueiros. A zootecnista Ana Paula Lira executa há um mês no local um projeto de pesquisa no mestrado em Produção Animal, do Programa de Pós-Graduação do Curso de Zootecnia da UFAL orientada pelo professor Emerson Soares. A pesquisadora investiga a viabilidade de cultivo em conjunto do camarão canela e do peixe curimatã pacu. Ela pretende verificar se as duas espécies, que possuem características de competição por alimento, podem ocupar o mesmo tanque e receber a mesma ração sem que ocorra uma mortalidade dos animais que possa comprometer o cultivo.

Segundo Ana Paula, a pesquisa somente foi possível pela oportunidade de desenvolver sua investigação na estrutura do Ceraqua São Francisco. “Aqui eu encontrei as condições estruturais para executar minha pesquisa. Os tanques em sistema raceway são fundamentais para experimentos como estes. Também temos uma boa oferta de animais para pesquisa pelo Ceraqua São Francisco e o apoio de técnicos bastante especializados, o que cria o ambiente científico e tecnológico ideal para a pesquisa”, disse a pesquisadora, que pretende executar um projeto de pesquisa de doutorado no Centro.

O Ceraqua São Francisco também configura-se como campo de estágio para diversas áreas do conhecimento ligadas à aquicultura e recursos pesqueiros. A estudante de zootecnia da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) Anna Lauren Nascimento desenvolve atualmente seu estágio supervisionado orientado no centro tecnológico da Codevasf sob orientação da professora Ida Tenório. A previsão é que ela passe aproximadamente 50 dias de estágio hospedada no dormitório planejado para receber grupos de estudantes.


atualizado em 23/05/2012 16:59